Nova Veneza: Filha está envolvida em latrocínio de idoso

Quatro adultos e um adolescente estão sendo apontados como participantes no crime. Mulher é mentora intelectual

Foto: Imagem ilustrativa
- PUBLICIDADE -

Nova Veneza

A morte do Agenor Della Bruna, 69 anos, encontrado em um bananal em Nova Veneza na quarta-feira está elucidada pela Polícia Civil. Segundo o delegado responsável, Jorge Giraldi, só falta esclarecer quem foi o autor das facadas que tiraram a vida do idoso. O certo é que Cinco pessoas, entre elas uma filha do idoso, estão envolvidas no latrocínio – roubo seguido de morte.

- PUBLICIDADE -

Na sexta-feira, em Balneário Rincão, onde a vítima morava, um adolescente foi apreendido. O menor confessou a participação no crime e apontou um outro homem. Quando a polícia chegou na casa dele, encontrou parte dos objetos roubados do idoso. Ele também confirmou a participação no crime.

Os criminosos roubaram R$ 500, uma gaita, um aparelho lava-jato, dois botijões de gás, um esmeril e duas televisões. “Todo esse crime foi planejado por uma filha do idoso. Além de ser a mentora intelectual, ela foi participante. Quando chegaram na casa do idoso, foi ela quem acionou o interfone para que ele abrisse o portão. Os demais foram iludidos por essa senhora de que na casa havia uma quantidade significativa de dinheiro, e que eles dividiriam o lucro do crime entre todos”, esclarece Giraldi à NSC TV.

Outros dois homens envolvidos e a filha de Agenor ainda não prestaram depoimento. O delegado já pediu a prisão dos quatro adultos e a apreensão do adolescente. Eles poderão responder por latrocínio, formação de quadrilha, ocultação de cadáver e corrupção de menor.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.