RDL negocia vinda de operadora de cargas para Jaguaruna

Projeto para aumento da pista e instalação de terminal de cargas do aeroporto está em revisão na Secretaria de Infraestrutura do Estado

Pista será ampliada no comprimento e na largura. Foto: Lucas Colombo
- PUBLICIDADE -

Desde o momento em que foi idealizado e inaugurado, em 2014, o Aeroporto Regional Sul Humberto Ghizzo Bortoluzzi, de Jaguaruna, já previa ir além do transporte de passageiros. A intenção era de que logo em seguida a estrutura pudesse ser utilizada como um terminal de cargas, uma opção para levar produtos de valor agregado de forma mais rápida ao seu destino. Um projeto para alargamento da pista foi feito, mas não foi levado adiante.

Atualmente, porém, a RDL Aeroportos, empresa que possui a concessão para administração da estrutura de Jaguaruna, trabalha para viabilizar essa antiga reivindicação da classe empresarial. O primeiro passo, segundo André Constanzo, diretor comercial da RDL, é encontrar uma companhia operadora de cargas que tenha interesse em atuar no local.

- PUBLICIDADE -

“Nós estamos negociando com algumas companhias operadoras de cargas para que venham para cá, inclusive elas já tinham demonstrado interesse no passado. Entendendo que é uma oportunidade, o Governo do Estado faria imediatamente esse investimento, porque aqui nós estamos em uma região propícia a isso”, afirma Constanzo.

Por “região propícia”, o diretor comercial se refere à localização do aeroporto. “Pela localização física, porque nós estamos perto de todos os modais, que seriam o rodoviário, o porto e o ferroviário, então, para completar, faltaria só o aeroviário, que seria o nosso caso”, explica.

Estudo sobre demanda em andamento 

Ao mesmo tempo em que busca uma operadora para trabalhar com as cargas, a empresa também prepara um estudo em que avalia a demanda de um terminal de cargas. Esse documento é mais uma estratégia para comprovar para o Governo do Estado, responsável pelo aeroporto, a necessidade da obra.

“Para que isso se torne realidade, para que o Governo do Estado entenda que esse investimento é necessário fazer, existe uma necessidade da confirmação de que a hora para o investimento seria agora”, comenta Constanzo.

“Confirmando a necessidade e a demanda do terminal de cargas, o Governo do Estado já se propôs a viabilizar. A nossa empresa busca as confirmações e a vinda de uma operadora exclusivamente de cargas, isso já proporcionaria o investimento do Governo do Estado”, enfatiza o diretor da RDL.

Ele conta, ainda, que não existe no Sul do Brasil outro aeroporto que opere conforme o modelo pensado para Jaguaruna. “A ideia era fazer um hub de cargas, um hub é uma distribuição de cargas, uma base de cargas. Hoje só existe isso em Campinas (SP), aqui no Sul não existe. E nós estamos do lado de países da América Latina, então, seria uma vantagem para quem opera carga ter uma logística aqui no Sul, porque você capilariza mais”, declara Constanzo.

Estado faz readequação no projeto

A instalação do terminal de cargas passa pela ampliação da pista que hoje é utilizada no aeroporto. O projeto já existe, mas no momento ele está sendo revisado pela equipe da Secretaria de Estado da Infraestrutura.

Segundo informações enviadas pela assessoria de imprensa da pasta, a obra não deve ser iniciada ainda este ano, isso porque o projeto é antigo e demanda readequações. “Por ser tratar de um projeto antigo, temos que atualizá-lo para atender todas as demandas atuais do terminal”, afirma a assessoria.

Matéria completa na edição desta segunda-feira do Tribuna de Notícias.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.