Içara chega a 100 quilômetros de pavimentações entre 2013 e 2019

Obras somam investimentos que chegam a R$ 100 milhões

- PUBLICIDADE -

Marciano Bortolin

Içara 

- PUBLICIDADE -

 Segunda maior cidade da Associação dos Municípios da Região Carbonífera (Amrec) Içara chega a 100 quilômetros de ruas pavimentadas de 2013 até abril deste ano. Ao todo, são 20 comunidades beneficiadas com a melhoria da infraestrutura viária com 70 quilômetros de lajotas e 30 quilômetros de asfalto, chegando ao investimento de R$ 100 milhões. Os números são comemorados pelo prefeito Murialdo Gastaldon, do MDB, que ainda destaca as ligações com Criciúma como algumas das obras mais importantes. “Antes, possuímos apenas duas ligações pavimentadas, hoje são sete. Eram somente a Rodovia Paulino Búrigo e a rodovia até a Primeira Linha. Hoje temos, além destas: Ligação com o bairro Demboski, Linha Ribeirão, Segunda Linha, Terceira Linha e Poço Oito”, salienta.

Gastaldon salienta ainda os diversos benefícios que a pavimentação leva para a comunidade, entre elas a melhoria da qualidade de vida e da economia. “A pavimentação resolve várias situações. Poder abrir a janela sem entrar poeira, andar sem pisar no barro. Além disso, valorização os imóveis. Também vem todo o sistema de drenagem eliminando vários pontos de alagamento. Estas pavimentações funcionam como vetor de investimento. A empresa que faz transporte que passa por estradas de chão tem custo maior e leva mais tempo para chegar ao destino”, fala.

Hoje, o prefeito revela que 90% da população içarense reside no perímetro urbano e que, além de priorizar os bairros, também levou pavimentação à região rural. “A cidade cresce 15% ao ano, mas na região rural, onde se chegou com a pavimentação, está crescendo 30% anualmente”, enfatiza.

Um problema enfrentado até pouco tempo era a liberação de loteamentos sem um mínimo de infraestrutura, deixando a responsabilidade das pavimentações como Governo Municipal. “Içara sempre era uma cidade dormitório de Criciúma. As pessoas saiam para trabalhar e só voltavam para dormir. Então não se tinha uma legislação para aprovação. Estes loteamentos foram se conectando com outros e formando bairros. De alguns anos para cá, até a construção de uma estação própria de esgoto passou a ser exigida”, conta.

Para realizar as obras, o Município utilizou recursos próprios, além d Programa Pró Transporte do Governo Federal, convênios com o Governo do Estado e contribuição de melhoria dos moradores.

Para 2019, está em andamento o processo de revitalização da área central do município, aumentando o número de vias pavimentadas.

 

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar
Por: Marciano Bortolin
Em: Içara

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.