Criciúma: pautas com a Casan voltam à mesa

Encontro entre Salvaro e a presidente da estatal, Roberta Maas dos Anjos, ocorre nesta tarde, no Paço Municipal Marcos Rovaris

- PUBLICIDADE -

Marciano Bortolin

Criciúma

- PUBLICIDADE -

A relação Criciúma e Casan terá mais um capítulo hoje e este pode ser o último da novela que se arrasta há alguns meses. Considerado Dia D, esta quinta-feira, coloca frente a frente o prefeito da cidade, Clésio Salvaro, do PSDB, e a presidente da estatal, Roberta Maas dos Anjos. O encontro está agendado para as 15h e ocorre no Paço Municipal Marcos Rovaris.

Na mesa, a proposta do chefe do Executivo criciumense de receber 7% de royalties para investimentos, além da redução de 40% da taxa de esgoto, que é de 100% do valor da tarifa de água, e a revisão das tarifas de água no prazo de até seis meses.

O prefeito de Criciúma já participou de encontro com a direção da Casan em Florianópolis há cerca de duas semanas. Na ocasião a presidente pediu prazo maior para avaliar os pleitos apresentado, sendo que a próxima reunião ficou marcada para hoje.

Ainda no final de 2018, quando Salvaro apresentou a vontade de romper com a estatal, o Governo Municipal mostrou levantamento que aponta Criciúma como a cidade que mais gera lucro, ultrapassando Florianópolis, São José e Chapecó.

Salvaro preferiu não esperar o desfecho da reunião desta tarde e encaminhou na última sexta-feira à Câmara de Vereadores, o Projeto de Lei de autoria do Poder Executivo (PE) n° 015/19, que cria o Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (Samae).

O PE foi elaborado sob análise de profissionais da Procuradoria-Geral do Município. De acordo com Salvaro, caso a Prefeitura de Criciúma não resolva o impasse com a Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (Casan), a Administração Municipal assumirá o sistema de abastecimento de água e tratamento de esgoto sanitário através do Samae.

A autarquia municipal terá o papel de estudar, planejar, projetar e executar as obras relativas à construção, ampliação ou remodelação dos sistemas públicos de abastecimento de água e esgotamento sanitário em Criciúma. O Samae será responsável por operar, manter, conservar e explorar os serviços de água e esgoto sanitário no município, além de lançar, fiscalizar e arrecadar as tarifas e taxas cobradas pela prestação dos serviços. “Estamos preparados para administrar o sistema e fornecer água aos criciumenses. A criação do Samae de Criciúma é fundamental para, em caso de necessidade e urgência, assumirmos o sistema”, comenta Salvaro. A intenção de criar a autarquia municipal foi divulgada na quarta-feira, 6, após Salvaro se reunir com os prefeitos de Maracajá, Siderópolis, Nova Veneza, Forquilhinha e Içara, além dos vereadores de Criciúma.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar
Por: Marciano Bortolin
Em: Criciúma

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.