Ato conscientiza sobre violência contra idosos

Unesc levou serviços de saúde para a Praça Nereu Ramos

- PUBLICIDADE -

Buscando conscientizar sobre todos os tipos de violência contra os idosos, uma dezena de entidades, voluntários, estudantes e professores estiveram mobilizados durante toda a manhã, deste sábado, 15, na Praça Nereu Ramos, no centro de Criciúma.  O evento marcou o Dia Mundial de Conscientização da Violência contra a Pessoa Idosa.

 

- PUBLICIDADE -

Durante toda a manhã, a Unesc, ao lado de entidades que integram tanto a rede oficial de atenção, assistência e proteção à pessoa idosa, ou que realizam trabalhos voluntários, como a OAB e a Pastoral da Pessoa Idosa, fez a sua parte na sensibilização deste tema que é cada vez mais recorrente.

Para a reitora da Unesc, Luciane Bisognin Ceretta, a ação é muito importante, reforçando esse movimento de muitas entidades, com um grande mobilização, permitindo o atendimento de muitas pessoas pelos estudantes e professores.

“Os movimentos realizados consolidam o que viemos ressaltando de que a universidade deve estar onde estão as pessoas. É lá que temos que levar nossos conhecimentos, produzindo e plantando nossas sementes. Sobretudo quando o tema é a prevenção da violência contra o idoso e também, a promoção da saúde”, destacou.

A ação teve atendimentos de saúde, feitos pelos estudantes dos cursos de Medicina, Psicologia, Nutrição, Biomedicina, Odontologia, Fisioterapia, Farmácia e Enfermagem, e repassou informação sobre os vários tipos de violência praticados todos os dias contra a pessoa idosa.

Para denúncias de violência contra a pessoa idosa é possível ligar para o CREAS, no 3445 8944, Conselho Municipal do Idoso, Disque 100 e ainda na Delegacia do Idoso, fone 3433 2189.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.