- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Pelotas/RS

- PUBLICIDADE -

Fotos: Jonathan Silva/GEB

Será um mês mais tranquilo para o Criciúma. Na noite desta terça-feira, a equipe superou o Brasil, em Pelotas, por 1 a 0 e passará a pausa para a Copa América fora da zona de rebaixamento para a Série C. O gol de Reis deixa o Tigre com nove pontos e longe dos quatro últimos colocados. A equipe teve uma postura diferente, em relação aos últimos jogos: marcando mais à frente e com rápida transição entre o meio e o ataque. Agora, serão 32 dias até o próximo compromisso pela Série B, diante do Coritiba, agendado originalmente para 13 de julho.

O Criciúma começou o jogo com uma postura diferente, em relação aos últimos jogos: marcando mais na frente e saindo para o ataque, mesmo jogando fora de casa. Aos seis minutos, entretanto, Marcinho pegou a bola na linha de fundo pela direita e cruzou, Murilo Rangel aproveitou falha de Derlan e cabeceou para uma grande defesa de Luiz. A primeira chance de gol foi do time da casa, apesar da postura do Tigre. O jogo seguiu com muita marcação e disputas ríspidas de bola no meio de campo. A primeira chance do Tricolor Carvoeiro aconteceu aos 16 minutos, quando Marcos Vinícius cruzou e Leandro Leite cabeceou contra a própria trave e assustou o goleiro Carlos Eduardo, cedendo escanteio.

Aos 18 minutos, após um erro de passe de Wesley, a bola foi lançada para Douglas Baggio, na esquerda, que avançou e bateu forte, mas a bola subiu e saiu pela linha de fundo. No minuto seguinte, foi a vez de Marcos Vinícius vacilar: Carlos Jatobá roubou a bola, avançou e bateu forte. A bola subiu, mas chegou a assustar o goleiro Luiz. O time gaúcho voltou a crescer na partida. Aos 21 minutos, a resposta do Criciúma: Vinícius recebeu pela esquerda, na intermediária, passou pelo marcador e bateu forte, mas a bola saiu pela linha de fundo, perto da trave de Carlos Eduardo. Aos 25 minutos, o gol do Tigre: Marlon encontrou Vinícius, nas costas de Ednei, o camisa 22 foi até a linha de fundo e cruzou, Léo Gamalho deixou passar para Reis, que dominou e teve tranquilidade para finalizar, sem chances para goleiro: 1 a 0 para o Tigre. Foi o terceiro gol de Reis no ano. O time treinado por Gilson Kleina, então, conseguiu segurar o ímpeto do time da casa que se lançou ao ataque com força.

Mais rápido na transição do meio para o ataque, o Tigre seguiu buscando o segundo gol. Aos 37 minutos, após lançamento, Luiz foi obrigado a sair da área, mas acabou vacilando na sequência do lance e deixou a bola com Marcinho que tocou para Douglas Baggio chutar por cobertura e obrigar Platero, em cima da linha, a evitar o gol de empate do Brasil. Após o gol, o Criciúma passou a marcar mais no próprio campo. Aos 44 minutos, após cobrança de escanteio, Liel finalizou forte e a bola saiu perto da trave. Boa chance do Tigre. “O time deles começou pressionando, mas soubemos segurar os primeiros 15 minutos. A jogada do gol, a gente trabalha durante a semana e conseguimos marcar. O mérito é de todos. Agora é manter o resultado para sair com a vitória”, comentou Reis, no final do primeiro tempo.

No primeiro minuto da etapa final, Vinícius ficou caído no lado esquerdo de ataque, Eduardo tinha a bola dominada pela direita, mas perdeu para Rafael Grampola, entretanto, o árbitro parou o jogo para atendimento do jogador do Tigre, causando protestos do time da casa, pois seriam três jogadores do Brasil contra dois do Criciúma, no campo de ataque do Tricolor Carvoeiro. O time treinado por Gilson Kleina conseguia manter o Xavante longe do gol e tinha o controle da partida. Aos 8 minutos, Liel escorregou na saída de bola, Marcinho tocou para Rafael Grampola, pela esquerda, e ele não conseguiu finalizar com qualidade.

Aos 18 minutos, Bruno Paulo avançou pela esquerda e cruzou para Marcinho, sozinho, na área. O camisa 10 finalizou mal e perdeu a chance de igualar. Aos 21 minutos, novamente Bruno Paulo: ele foi derrubado por Eduardo, na intermediária, pela esquerda. Falta. Na cobrança, Marcinho jogou longe da trave.

Aos 32 minutos, Ricardo Luz cobrou falta, Leandro Camilo cabeceou, mas a bola saiu pela linha de fundo. O Criciúma conseguia controlar o jogo e saía rápido para contra-ataques. Aos 33 minutos, Reinaldo entrou a dribles pela direita, mas foi derrubado, na intermediária. Falta. Wesley cobrou mal e a bola saiu. Aos 35 minutos, Carlos Jatobá finalizou e a bola bateu no peito de Derlan. Os braços estavam junto ao corpo. A torcida pediu pênalti, mas o árbitro, corretamente, nada marcou. Aos 37 minutos, Marlon cruzou, a zaga afastou e Liel cabeceou, mas Carlos Eduardo pegou. Nos acréscimos, Léo Gamalho quase ampliou. Bem postado, o Tigre controlou as ações, no final de jogo, e garantiu os três pontos que tiram o time da incômoda zona de rebaixamento da Série B.

Campeonato Brasileiro – Série B – 8ª Rodada

11/06 (terça-feira) – 19h15 – estádio Bento Freitas, em Pelotas/RS

BRASIL

Carlos Eduardo; Ednei (Ricardo Luz), Bruno Aguiar, Leandro Camilo e Sousa; Leandro Leite, Douglas Baggio (Bruno Paulo), Carlos Jatobá, Marcinho e Murilo Rangel (Daniel Cruz); Rafael Grampola. Técnico: Rogério Zimmermann

CRICIÚMA

Luiz; Marcos Vinícius, Platero, Derlan e Marlon; Liel, Wesley e Eduardo (Jean Mangabeira); Vinícius (Caíque), Léo Gamalho e Reis (Reinaldo). Técnico: Gilson Kleina

Arbitragem: José Cláudio Rocha Filho; Auxiliares: Anderson José de Moraes Coelho e Daniel Paulo Ziolli. (Trio de SP)

GOLS: Reis (25/1T) (C)

Cartões Amarelos: Reis, Luiz, Wesley, Marlon, Reinaldo e Caíque(C); Leandro Camilo (B)

Cartões Vermelhos: Não houve

Público: 3.054

Renda: R$ 47.440,00

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.