- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Criciúma

- PUBLICIDADE -

Um time com postura diferente, em boa parte do jogo, mas com resultado igual. Assim foi o Criciúma diante da Chapecoense, na tarde deste domingo, no Majestoso. Treinado pelo interino Wilson Waterkemper, o Wilsão, a equipe esteve mais “acesa” em campo, teve trocas de passes rápidas, mas pouca efetividade no ataque. Assim, acabou levando um gol, aos 34 minutos do segundo tempo e perdeu para o Verdão do Oeste por 1 a 0. O resultado deixa o Criciúma ainda sem vencer clássicos em 2019: são cinco derrotas e um empate. Ainda existem duas chances para vencer: diante de Avaí e Joinville, ambos no Majestoso, ainda pelo segundo turno do Catarinense.

No final, a torcida protestou fortemente contra os dirigentes do clube com palavras de ordem direcionadas ao presidente Jaime Dal Farra. Neste momento, o som ambiente do estádio colocou o hino do clube para tentar ofuscar a manifestação. “Dominamos o jogo, mas não conseguimos marcar. Sabemos que temos um grupo jovem e essa situação complica mais. Temos que ter tranquilidade para seguir trabalhando”, comentou o lateral Marlon, ao final do jogo.

O Criciúma começou tomando a iniciativa do jogo. Logo aos quatro minutos, após cobrança de escanteio, Andrew cruzou da esquerda e Sandro cabeceou na primeira trave e a bola passou muito perto do gol de João Ricardo. Com mais volume de jogo e boas trocas de passes, o Tricolor Carvoeiro seguia pressionando a Chapecoense e não dava chance ao time do Oeste. Aos 13 minutos, Yann fez boa jogada pela esquerda, mas Sandro colocou para escanteio. O time visitante tentava equilibrar a partida. Após um começo forte do Criciúma, o jogo ganhou em equilíbrio.

Aos 17 minutos, após cobrança de escanteio, Everaldo apareceu meio e cabeceou com perigo, mas a bola saiu ao lado do gol de Luiz. Aos 19 minutos, Reis foi lançado e entrou cara a cara com João Ricardo, mas o bandeirinha marcou um impedimento duvidoso, gerando reclamações nas arquibancadas. O Tigre tentava tomar iniciativa, enquanto o adversário esperava para avançar em contra-ataques.

A partida diminuiu em velocidade e teve menos chances a partir dos 30 minutos. Os times erravam muitos passes e cometiam muitas faltas. Aos 38 minutos, após cobrança de escanteio, Luiz Otávio errou a saída de jogo, Sandro roubou a bola pelo meio e tocou para Reis, na entrada da área, pela esquerda. O camisa 7 foi derrubado. Falta. Daniel Costa cobrou na barreira. Na sequência do lance, pressão do Tigre: Reis, pela direita, cruzou para Sandro que finalizou para grande defesa de João Ricardo. Aos 41 minutos, Eduardo e Jean Mangabeira se desentenderam, após uma falta do lateral em Marlon. Princípio de confusão, mas logo acalmado pela arbitragem. Aos 43 minutos, Everaldo recebeu na meia lua e chutou rasteiro para a defesa de Luiz. Dois minutos depois, Reis tentou de fora da área e João Ricardo pegou. Aos 48 minutos, Lourency cortou Marlon pela esquerda e bateu longe do gol de Luiz. “Era para estarmos ganhando o jogo. Ditamos o ritmo e vamos vencer”, comentou o atacante Reis, no intervalo.

Com muita chuva, a etapa final começou com iniciativa do Tigre. Aos três minutos, Reinaldo foi lançado por Marlon, driblou bem o zagueiro, mas usou o braço no início da jogada. O arbitro marcou a infração. Aos seis minutos, Marlon recebeu pela esquerda e bateu forte, mas a bola saiu, muito perto da trave. A partida tinha muita marcação e passes errados, pouco mudando, em relação à primeira etapa. Aos nove minutos, Lourency errou a saída de jogo, Daniel Costa tocou para Eduardo que chutou rasteiro, mas a bola saiu pela linha de fundo.

Aos 15 minutos, Renato avançou rápido pela direita, em contra-ataque, e cruzou para Augusto, que antecipou Sandro e cabeceou pela linha de fundo. A bola passou perto da trave. Com o campo cada vez mais pesado, em virtude da chuva, os lances ríspidos ficaram mais comuns no jogo. Os times erravam muitos passes e criavam poucas chances de perigo ao gol do adversário. A Chapecoense dominava a partida, a partir da metade da segunda etapa.

Aos 34 minutos, em contra-ataque, Perotti foi lançado por Renato, pela esquerda, ele entrou na área, chutou, a bola desviou em Maicon, Luiz defendeu parcialmente e Augusto completou para a rede: 1 a 0 para a Chape. Aos 37 minutos, após cruzamento, Marlon cabeceou, pela esquerda, a bola bateu no zagueiro e a torcida pediu pênalti, não marcado. Na sequência, Augusto avançou pela direita, em contra-ataque, tentou encobrir Luiz, mas a bola saiu. Aos 44 minutos, Everaldo recebeu sozinho, na marca do pênalti, e Luiz fez uma grande defesa, mas não foi o bastante para evitar a derrota do Tigre. Vaias e protestos da torcida ao final do jogo. “Muito dificil, já estamos em situação complicada e essa derrota só piora”, finalizou o atacante Marcinho Junior.

Campeonato Catarinense – Returno – 3ª Rodada

10/03 (domingo) – 16 horas – estádio Heriberto Hülse

CRICIÚMA

1             Luiz                        6,0

13           Maicon                 5,5

3             Sandro                 6,5

34           Derlan                  6,0

6             Marlon                 6,0

5             Jean Mangabeira            5,5 (11- Marcinho Júnior aos 41/2T – sem nota)

19           Eduardo              6,5

10           Daniel Costa      5,5

17           Andrew               5,5 (20- Reinaldo – 44/1T – 5,5)

7             Reis                      6,0

36           Caíque                 5,5 (39 – Julimar – 21/2T – 5,5)

Reservas: 30- Bruno Grassi, 31- Carlos Eduardo, 4- Federico Platero, 32- Bruno Cosendey, 24- Gabriel Henrique, 21- Gabriel Honório, 9-Pedro Bortoluzo e 40- Ceará

Técnico: Wilson Waterkemper, o Wilsão

CHAPECOENSE

1             João Ricardo                      6,0

2             Eduardo                              5,5

21           Luiz Otávio                         6,0

35           Hiago                                    6,0

6             Bruno Pacheco                 6,0

85           Tharlis                                  5,5

86           Elicarlos                               6,0

25           Yann                     4,5  (20 – Augusto aos 14/2T – 7,0)

13           Lourency             5,5  (99 – Perotti aos 32/2T – 6,5)

11           Victor Andrade 5,5 (19- Renato aos 14/2T – 6,0)

77           Everaldo              6,0

Reservas: 98- Tiepo, 26- Ruan, 97- Marcos Vinícius, 17- V.Freitas, 63- Vinícius Locatelli, 12- Diego Torres e 18- Aylon

Técnico: Claudinei Oliveira

Arbitragem: Bráulio da Silva Machado; Auxiliares: Alex dos Santos e Carlos Felipe Schmidt

GOLS: Augusto (34/2T) (CH)

Cartões Amarelos: Eduardo, Marlon, Reinaldo e Sandro (CR); Lourency, Eduardo, Tharlis e Elicarlos (CH)

Cartões Vermelhos: Não houve

Público: 6.092

Renda: R$ 66.510,00

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.