- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Criciúma

- PUBLICIDADE -

Fotos: Lucas Colombo

Tem dias que a bola não entra. O cenário estava pronto, a torcida acreditou e o Tigre teve muito mais volume de jogo que o Brusque. Entretanto, o time treinado por Doriva parou incrivelmente quatro vezes na trave adversária, acabou surpreendido, ainda no primeiro tempo, e perdeu por 1 a 0, na noite desta quarta-feira, no Majestoso. O Criciúma chegou a acertar duas bolas na trave, na mesma jogada, criou muitas chances, pressionou, mas não conseguiu sequer empatar. No final, chance perdida de se aproximar dos líderes e vaia da torcida. “A gente não entende o torcedor. Jogamos para frente, tentamos muito, mas a bola não entrou. Acontece. Agora temos que ter cabeça fria porque domingo tem clássico contra o Avaí”, saiu, indignado, ao final do jogo, o lateral e capitão Marlon.

O Tigre começou marcando forte o adversário, na zaga adversária, e tomando a iniciativa da partida. Logo no primeiro minuto de jogo, Zé Augusto lançou para Maicon que cruzou, de primeira, para Pedro Bortoluzo que cabeceou para baixo, no meio da área, mas a bola saiu. Aos três minutos, a forte marcação do Criciúma deu resultado: a zaga do Brusque errou a saída de bola, Ceará roubou e tocou para Daniel Costa que bateu forte, mas a bola subiu e saiu. No minuto seguinte, em contra-ataque, Hélio Paraíba foi lançado, lado a lado com Sandro, entrou na área e caiu pedindo pênalti, mas o árbitro nada marcou. Falha de marcação do Criciúma, que quase resultou em chance clara do adversário. Ambos os times buscavam o ataque em um jogo bastante ofensivo. Aos 10 minutos, Ruan errou a saída de bola, novamente, Zé Augusto ficou com a bola tocou para Daniel Costa que tocou de calcanhar para Reis que chutou em curva, mas a bola saiu por pouco.

O Criciúma tinha total domínio e maior volume de jogo. Aos 18 minutos, Maicon cruzou perfeitamente e Pedro Bortoluzo teve a chance de cabecear, mas fez o movimento errado e golpeou totalmente errado. No minuto seguinte, Jefferson Renan cruzou, a bola passou por Hélio Paraíba e Marlon colocou para escanteio, na frente do gol. Aos 21 minutos, Hélio Paraíba recebeu na entrada da grande área e bateu forte, mas a bola saiu ao lado da trave.

Incrível: duas bolas na trave em sequência

Aos 24 minutos, um lance incrível: Marlon cobrou escanteio e Pedro Bortoluzo cabeceou no travessão. A bola pegou no chão e saiu, Reis ficou com o rebote e tocou para Zé Augusto, na entrada da área, e ele também acertou a trave. Na sobra, Sandro girou e Zé Carlos fez a defesa. A bola teimava em não entrar. No minuto seguinte, Reis tocou para Daniel Costa que bateu forte, pela direita, e a bola saiu alta, pela linha de fundo. Pressão fortíssima do Tigre e o gol não saia. Aos 28 minutos, contra-ataque do Brusque com Clebinho pela direita: ele avançou e chutou para a defesa de Bruno Grassi. No rebote, dividida de Hélio Paraíba com Nino e a bola saiu.

Descuido e golaço do adversário 

Aos 30 minutos, o árbitro Cinésio Mendes Junior fez a parada técnica para a hidratação, devido ao fortíssimo calor que fazia em Criciúma. No retorno, aos 35 minutos, Zé Augusto cruzou, da direita, e Ceará pegou de primeira, mas a bola subiu e saiu. Desgastado pela alta temperatura, o Tigre deu espaço para o Brusque e foi punido. Aos 38 minutos, Clebinho começou a jogada pelo meio e tocou para Jefferson Renan que fez uma belíssima jogada pela esquerda, passou por Sandro e Maicon, deixando ambos no chão, e tocou para o próprio Clebinho na entrada da grande área. O camisa 10 do Brusque ajeitou e tocou na saída de Bruno Grassi para abrir o placar. 1 a 0 para o Bruscão com um golaço. O Tricolor Carvoeiro teve chance de abrir o placar, mas não o fez e acabou levando. “Rodamos, rodamos e os caras no contra-ataque conseguiram fazer”, resumiu o zagueiro Sandro, no intervalo.

Na etapa final, com Gabriel Henrique no lugar de Pedro Bortoluzo, o Tigre voltou pressionando o adversário. Se o goleiro Bruno Grassi não estivesse em campo, pouca diferença faria, pois o Brusque não chegou no ataque. Antes do primeiro minuto, Reis foi derrubado pela esquerda. Falta. Na cobrança de Daniel Costa, a bola bate na barreira e sai. No minuto seguinte, Gabriel Henrique tocou para Ceará que bateu forte e a bola explodiu no travessão e saiu. Aos cinco minutos, Gabriel Henrique finalizou, a bola pegou na zaga adversária e não entrou. O Tigre reclamou pênalti, que não existiu. O Criciúma seguia pressionando o Brusque, mas a bola teimava em não entrar.

Paraíba expulso e outra bola na trave!

 Aos sete minutos, Hélio Paraíba pegou Marlon na maldade e tomou cartão amarelo. Dois minutos depois, o mesmo Hélio acertou Nino, tomou o segundo amarelo e foi expulso. Aos 11 minutos, Sandro recebeu na pequena área e finalizou, mas a bola bateu em Ianson e saiu para escanteio. Aos 15 minutos, Maicon fez uma grande jogada pela direita e finalizou, mas a bola novamente pegou na trave e saiu, na volta Reis chutou e Zé Carlos pegou. Aos 18 minutos, Daniel Costa bateu escanteio, mas Gabriel Henrique cabeceou para fora. A partir daí, o Tigre arrefeceu e perdeu fôlego, devido ao calor.

Aos 24 minutos, Nino falhou, Clebinho ficou com a bola e lançou Jefferson Renan, que invadiu a área e bateu forte, mas a bola também explodiu na trave e saiu. Chance clara desperdiçada para o Brusque ampliar. Aos 27 minutos, novamente no contra-ataque, Ruan lançou Zé Mateus pela direita, que entrou em velocidade, mas foi desarmado na bola por Reis. Chegada com perigo do Bruscão. Nova pausa para hidratação, devido ao calor, aos 30 minutos da etapa final.

Na retomada, aos 34 minutos, Daniel Costa tocou para Ceará que bateu cruzado e Zé Carlos defendeu. Aos 44 minutos, Eduardo encheu o pé e Zé Carlos salvou o Brusque. O Tigre seguiu tentando empatar, mas não teve sucesso. No final, derrota inesperada do Criciúma em casa, pois, no futebol é assim: tem dias que a bola não entra. “O torcedor está certo, tem que cobrar. Tentamos igualar, criamos, mas não deu. Acredito que fizemos o certo, mas a bola não entrou”, finalizou o jovem estrante Gabriel Henrique.

Campeonato Catarinense – 1º Turno – 5ª Rodada

30/01 (quarta-feira), 21h, estádio Heriberto Hülse

CRICIÚMA

Bruno Grassi; Maicon, Sandro, Nino e Marlon; Zé Augusto (Alexandre Alemão), Eduardo e Daniel Costa; Reis, Pedro Bortoluzo (Gabriel Henrique) e Ceará (Reinaldo). Técnico: Doriva

BRUSQUE

Zé Carlos; Zé Mateus, Ianson, Neguette e Cleiton (Douglas Silva); Ruan, Karl e Clebinho; Weverton (Valkenedy), Helio Paraíba e Jefferson Renan (Isac). Técnico: Marcelo Caranhato

Arbitragem: Cinésio Mendes Junior; Auxiliares: Eder Alexandre e Fabiano Coelho da Silva

GOL: Clebinho (38/1T) (B)

Cartões Amarelos: Sandro (C); Ianson e Hélio Paraíba (B)

Cartão Vermelho: Hélio Paraíba (B)

Público: 2.965

Renda: R$ 42.620,00

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.