- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Criciúma

- PUBLICIDADE -

Com investimentos financeiros mais altos em nomes conhecidos e experientes como Wesley, Vinícius e Léo Gamalho, a torcida do Criciúma esperava um início melhor de Série B. Entretanto, pelo terceiro ano consecutivo, a equipe chega à quinta rodada da competição sem obter uma vitória sequer. Neste ano, são dois empates e duas derrotas. Mesmo com uma campanha pífia, o Tigre está melhor do que em 2017 e 2018. No ano passado, o primeiro ponto veio apenas na sexta rodada – em um empate por 0 a 0 com o Juventude, no Majestoso. A partida marcava a estréia do técnico Mazola Júnior. Nas cinco primeiras rodadas, o Criciúma perdeu todos os jogos e demitiu o técnico Argel Fucks.

Em 2017, o primeiro ponto veio apenas na quarta rodada: outro empate sem gols, desta vez contra o Luverdense, também em estréia de técnico: Luiz Carlos Winck chegava para o cargo, após a demissão de Deivid, que perdeu os três primeiros jogos da competição. A melhor campanha dos últimos quatro anos foi em 2016 quando o então treinador, Roberto Cavalo, perdeu o primeiro jogo apenas na quarta rodada – derrota por 2 a 1 para o CRB – mas já tinha sete pontos conquistados.

O time chega pressionado para o confronto de amanhã, diante do Guarani às 19h15min, no Majestoso: a vitória é imprescindível, pois o time está na zona de rebaixamento da Série B. Coincidentemente, o Criciúma também enfrentou o time de Campinas na quinta rodada da competição no ano passado. A derrota por 1 a 0 no interior paulista causou a demissão de Argel Fucks. No ano passado, o Criciúma esteve no temido Z-4 por 16 rodadas. “Precisamos ter mais confiança para jogar. Às vezes não conseguimos dar sequência, precisamos de uma vitória para aparecer a individualidade”, avaliou o atacante Léo Gamalho, autor do gol tricolor na derrota por 3 a 1 para o Atlético-GO, em Goiânia.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.