Tigre: Gilson Kleina chega e já trabalha

Novo treinador é apresentado ao lado do presidente Jaime Dal Farra e do diretor de futebol, João Carlos Maringá

- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Criciúma

- PUBLICIDADE -

O novo treinador do Criciúma foi apresentado oficialmente na tarde desta sexta-feira. Gilson Kleina já comandou uma parte do trabalho, logo após a apresentação oficial, no Majestoso. Assim, para o jogo de domingo, às 16 horas, contra o Tubarão, na Cidade Azul, a equipe terá o dedo do treinador, junto com as ideias do auxiliar Wilson Waterkemper, o Wilsão, que ficará na casamata. “Claro que o treino de hoje (sexta-feira) e amanhã (sábado) pode definir algumas coisas e algumas situações que a gente até pode vir a trocar, mas pelo menos uma variável tem que acontecer. Se eu não estiver no banco, estou inserido no processo, que é isso que eu quero. Eu já cheguei, quero fazer parte da família do Criciúma e espero ter uma estreia com o pé direito”, comentou Kleina.

Gilson participará do trabalho deste sábado e estará na delegação que viajará para Tubarão. Ele acredita que ainda não teve o tempo necessário para identificar a melhor proposta de jogo para o time, mas auxiliará Wilsão durante a partida.“O Wilson tem toda a minha confiança. Ele preparou a semana, então, nada mais justo que ele, por conhecer bem o elenco, ir para o banco. Nós temos essa comunicação. No camarote que eu estiver, teremos essa fala, mas já comecei o trabalho hoje (sexta-feira) pela manhã, quero participar dos treinos, eu entendi o modelo que ele está colocando. No estudo que nós estamos fazendo, eu ainda não consegui ver uma identidade e plataforma de jogo. Vamos entender de que maneira podemos fazer o encaixe melhor desta equipe”, ressaltou.

Uma mudança já foi observada no treino de sexta-feira: os jogadores disputavam cada lance como se fosse um jogo. Ninguém aliviou. Jean Mangabeira, Marlon e Eduardo chegaram a ter uma discussão durante um lance do trabalho coletivo. Todos apresentavam muita vontade, como já pregou o novo diretor, João Carlos Maringá, na segunda-feira, e ressalta Kleina. “O que eu coloquei para os nossos jogadores é que nós realmente estejamos comprometidos com o objetivo do Criciúma. Que nós possamos ter uma mudança de atitude, postura e, ao mesmo tempo, planejar as três competições (Copa do Brasil, Catarinense e Série B). Claro que para almejar a primeira classificação precisamos pensar um jogo de cada vez. Nas nossas pretensões, o jogo mais importante é esse com o Tubarão. Que nós possamos ter um resultado positivo para que a gente possa, aos poucos, aumentar o nível de confiança”, comentou.

A esperança de obter a classificação

Escorado em um passado recente que mostra sequências grandes de invencibilidade, Kleina acredita na classificação no Campeonato Catarinense. Em 2017, na Chapecoense, o treinador ficou 11 jogos sem perder. Ano passado, na Ponte Preta, repetiu o número. Assim, considera que, com seis jogos para disputar, é possível chegar às semifinais do estadual. “Temos 18 pontos, nossa gordura é pouca, temos que fazer o maior nível de pontuação possível e aliado a vitórias. Se fizer 18 pontos, você chega a fazer 32, certo? Claro que tem que ter 100% de aproveitamento e não fiz a média com o Marcílio, que é o quarto colocado”, comentou.

Ainda assim, Gilson não deixa de olhar para a parte de baixo da tabela e lembra que o jogo de domingo é um confronto direto. “Temos que ser francos, estamos a seis pontos da classificação, mas não podemos descuidar: estamos a sete também lá de baixo. É jogo de confronto, se o Tubarão tiver êxito pode diminuir para quatro e aumenta a nossa ansiedade e preocupação. Se vamos fazer um trabalho de progressão, ter consistência, pegar confiança, ou se já tem condições pelo trabalho de ter uma postura dessa ou daquela maneira. Temos que ser inteligentes com análises diretas. Temos que ser letais”, enfatizou.

Resgate do elo entre time e torcida

Em 2003, Kleina começou a carreira no Criciúma. Ele conhece bem a torcida carvoeira e a importância dela para empurrar o time no Majestoso, mas, experiente, ele sabe também que o time precisa ter um desempenho forte em campo.”Para trazer o torcedor de volta, precisamos mudar a atitude dentro de campo. Temos que ter o espírito do Criciúma, jogar organizado, ter variação de jogo e a entrega. Isso que o torcedor gosta de ver. O resultado está diretamente ligado ao rendimento da equipe. Vejo muito futebol de resultado hoje no Brasil. Tem duas ou três equipes que propõem o jogo, que se impõem, e têm equipes reativas atingindo objetivos. Não posso cravar de que jeito vamos fazer, mas aqui dentro temos que voltar a ter identidade. Tem que ser forte dentro de casa para atingir objetivos. Se é um lugar para fazer diferença é ao lado do seu torcedor. Precisamos trazê-los de volta”, enfatizou.

Segue a busca intensa por reforços

Ainda com pouco tempo de trabalho, Kleina está avaliando o grupo de jogadores do Criciúma para então começar a contratar reforços. A chegada de um centrovante é certa, afinal o clube conta apenas com Pedro Bortoluzo no elenco. Para as demais posições, o treinador fará uma análise minuciosa dos atuais atletas e do mercado, juntamente com João Carlos Maringá. “Se a gente não tem jogador de área podemos trabalhar de outra forma. As contratações têm que existir, mas eu não posso cravar nesse momento. Tem nomes importantes que acho que podem vir, o Maringá é um gestor de mercado, é um diretor atuante, conhece muito bem, mas sabe como é o mercado: quando começa a falar com A, B, C, pode fugir um pouquinho da nossa alçada. O presidente quer fazer investimentos, mas temos uma limitação, temos que entender de que maneira vamos qualificar esse grupo”, destacou.

Gilson acredita que pode recuperar bons jogadores que já estão no plantel do Tigre. Além disso, ele crê que bons resultados ajudarão na captação de reforços com qualidade. “Com a equipe rendendo, tendo resultados positivos, isso atrai bons jogadores. Resgatar bons jogadores aqui dentro para eles terem o real valor. Quer perpetuar na história de um clube? É conquistando títulos. Nossa reunião de hoje foi muito mais sobre o elenco atual, mas já traçando algo paralelo. Queremos o grupo forte, mas primeiro estamos dando toda a confiança e ênfase para os jogadores atuais que poderemos resgatar”, finalizou.

 

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.