- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Criciúma

- PUBLICIDADE -

Um dos pontos-chave para que um time suba para a Série A é ter um elenco experiente, com rodagem. No Criciúma, Daniel Costa é um desses jogadores. No ano passado, ele obteve o acesso com o CSA e para repetir a dose, o meia da a dica: pensar jogo a jogo. “O principal é nós sempre pensarmos jogo a jogo. Não querer pensar no acesso desde o início. Temos que pensar jogo a jogo, foi assim que aconteceu no CSA. A gente foi indo jogo a jogo e quando vimos que tínhamos condições focamos muito nisso e as coisas deram certo. É mais ou menos esse o pensamento. Nós temos que ser um time aguerrido, intenso e estamos adquirindo essas características junto com o professor”, comentou.

Ser forte nos confrontos em casa é um ponto determinante. Começar bem a competição também pode ser decisivo. “Nos jogos em casa, no CSA, nós não perdemos, nas primeiras rodadas, isso fez toda a diferença. Também conseguimos uns pontos fora, no início, e criamos uma gordura. No momento da instabilidade, no meio da competição, que é normal, nós tínhamos uma gordura e nos mantivemos no G-4. Então, é isso que temos que fazer”, ressaltou.

Até a pausa para a Copa América, serão oito rodadas. Essas partidas também serão fundamentais para que o Criciúma tenha um início próximo dos primeiros colocados. “Estamos tendo tempo para treinar, então, nessas rodadas até a Copa América, nós temos que fazer o maior número possível de pontos para brigar na parte de cima da tabela. Depois administramos cada jogo”, pontuou Daniel.

Entretanto, uma meta de pontos para o início ainda não foi traçada. “Não. Ainda não conversamos, mas o professor falou que vai ter uma conversa conosco, por esses dias, para falar sobre a competição e aí, provavelmente, ele deve passar isso, mas temos que pensar jogo a jogo e fazer o maior número possível de pontos. Principalmente em casa, temos que perder o mínimo de pontos, que faz a diferença no final”, ressaltou.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.