Sob forte calor, Tigre vence o Metropolitano

Com sensação térmica de mais de quase 50 graus, partida tem baixo nível técnico. Daniel Costa desencanta e Platero marca na estreia. O resultado de 2 a 0 diminui a pressão sobre o time treinado por Doriva no Catarinense

- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Criciúma

- PUBLICIDADE -

Fotos: Caio Marcelo/CEC

Valeu pelo resultado. Em uma tarde com calor extremo, o Tricolor Carvoeiro e o Metrô não fizeram um bom jogo, mas os gols de Daniel Costa, de falta, ainda na primeira etapa e do estreante uruguaio, Federico Platero, no segundo tempo, garantiram os três pontos para o time treinado por Doriva. O resultado ameniza a pressão que já recaia sobre o técnico e o grupo de jogadores. Com uma sensação térmica de quase 50 graus, com sol forte, poucas chances claras de gols foram criadas pelo Tigre. O time de Blumenau, fraco tecnicamente, até tentou diminuir, no segundo tempo, mas esbarrou no limite técnico e sequer incomodou o goleiro Luiz. “Desgastante. Não tem como falar que a gente é acostumado com o calor, mas o mais importante foi voltarmos a vencer em uma semana decisiva. Tem Copa do Brasil e outro clássico com o Joinville”, enfatizou, ao final do jogo, o meia Daniel Costa.

Com muito calor, o Tigre buscou o ataque desde o início. Aos dois minutos, Reis foi derrubado pela esquerda. Falta. Na cobrança de Daniel Costa, o goleiro Igor afastou. Aos seis minutos, Eduardo pegou a sobra da defesa, na intermediária, pela esquerda e bateu forte, mas a bola saiu tirando tinta da trave. O lance arrancou o tradicional “uuuuh” dos poucos torcedores carvoeiros que enfrentaram a tarde quente de sábado na arquibancada do Majestoso. Com Daniel Costa bem marcado individualmente por Leandro Melo, as principais jogadas aconteciam pelos lados do campo. Aos 11 minutos, Carlos Eduardo fez boa jogada e tocou para Eduardo na direita, o volante cruzou, Pedro Bortoluzo cabeceou pressionado pelo zagueiro Romário e a bola sobrou para Ceará, na pequena área, na frente de Igor, mas o atacante chutou mascado e o goleiro defendeu para escanteio. Chance incrível desperdiçada pelo Tigre. Aos 15 minutos, Daniel Costa e Ceará trocaram passe na meia lua e o camisa 10 foi derrubado. Falta. Na cobrança de Marlon, Igor fez uma grande defesa e a bola passou muito perto do ângulo direito do goleiro.

Aos 18 minutos, o Criciúma seguia pressionando. Eduardo achou Carlos Eduardo livre na direita e o lateral cruzou rasteiro para Pedro Bortoluzo, que concluiu para o gol, mas a bola pegou em Café e saiu. No minuto seguinte, Carlos Eduardo finalizou forte, pela direita, e a bola passou perto do travessão de Igor. Aos 24 minutos, Reis foi derrubado na intermediária, pelo meio. Falta. Na cobrança de Daniel Costa, a bola pegou na trave, nas costas de Igor e entrou. 1 a 0 para o Tigre aos 26 minutos. Desencantou o camisa 10 tricolor. “Desde o ano passado, eu não fazia um gol de falta. Consegui finalmente fazer pelo Criciúma”, ressaltou o jogador, no intervalo.

Aos 35 minutos, Ari Moura apareceu pela direita e cruzou para Júnior Pirambú que não alcançou e a bola sobrou para Luiz, que fez a primeira intervenção dele no jogo. No minuto seguinte, Carlos Eduardo cruzou da direita e cruzou para Ceará que finalizou em cima do zagueiro Café. O forte calor arrefeceu o ímpeto do Criciúma, que tirou o pé do acelerador depois do gol. O Metropolitano, com pouca qualidade, não conseguia reagir. “Tá muito difícil jogar nesse calor, mas está quente para todo mundo, então temos que ficar com a posse de bola para tentar fazer o segundo gol”, disse o volante Zé Augusto, no intervalo.

Na etapa final, o Tigre voltou buscando o segundo gol, mas com pouca contundência, ainda devido ao calor. O Metropolitano, por outro lado, buscava o jogo e tinha a marcação mais avançada. Aos quatro minutos, em um contra-ataque, Dudu recebeu pela direita e cruzou para Júnior Pirambú que finalizou sobre Platero e perdeu a chance. Aos nove minutos, Pedro Bortoluzo saiu mancando e entrou Julimar. Aos 10 minutos, Reis pegou o rebote, após bate e rebate, e finalizou com o pé direito, mas a bola saiu perto da trave de Igor.

Aos 17 minutos, Carlos Eduardo cobrou falta pela direita e a bola saiu por pouco. Aos 24 minutos, após cobrança de escanteio, o estreante Federico Platero cabeceou forte e para baixo para marcar 2 a 0 para o Criciúma.

Os últimos 15 minutos de jogo serviram apenas para confirmar a vitória do Criciúma. Nenhum lance a mais de perigo foi criado pelas equipes em um jogo muito fraco. “Muito feliz pela estreia. O time fez um bom trabalho, Daniel cruzou bem e eu só cabeceei”, finalizou Federico Platero.

Campeonato Catarinense – Turno – 7ª Rodada

09/02 (sábado) – 17 horas – estádio Heriberto Hülse

CRICIÚMA

Luiz; Carlos Eduardo (Caíque), Federico Platero, Sandro e Marlon; Zé Augusto, Eduardo e Daniel Costa; Reis, Pedro Bortoluzo (Julimar) e Ceará (Andrew). Técnico: Doriva

METROPOLITANO

Igor; Dudu, Café, Romário e Jeffinho (Clau); Leandro Melo, Negueba (Ângelo),e Ruan Oliveira; Ari Moura, Júnior Pirambú e Bruninho (Netinho). Técnico: Abel Ribeiro

Arbitragem: William Machado Steffen; Auxiliares: Henrique Neu Ribeiro e Gizeli Casaril

GOLS: Daniel Costa (26/1T) e Federico Platero (24/2T) (C)

Cartões Amarelos: Marlon e Zé Augusto (C); Café, Negueba e Clau (M)

Cartões Vermelhos: Não Houve

Público: 2.078

Renda: R$ 28.245,00

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.