- PUBLICIDADE -

Criciúma

Os jogadores do Criciúma se reapresentaram ontem no Centro de Treinamento Antenor Angeloni, no bairro Cristo Redentor. Após a eliminação na Copa do Brasil, o foco é a preparação para o jogo de domingo, às 16 horas, contra o Avaí, no estádio da Ressacada, em Florianópolis, pela semifinal do Campeonato Catarinense. “Agora tem que virar a página acho que já passou o jogo da Chapecoense. Temos jogadores experientes que sabem digerir isso. Então vamos nos preparar da melhor maneira possível pensando só no Avaí domingo”, comentou o lateral-esquerdo Marlon.

- PUBLICIDADE -

No trabalho de ontem, os jogadores que atuaram por mais tempo no jogo de quarta-feira contra a Chapecoense, pela Copa do Brasil, fizeram um treino de recuperação no CT. O restante do grupo fez um intenso treino técnico. Hoje, às 10 horas, o elenco de atletas realiza atividade no CT. “Nesse jogo de domingo nós não podemos errar e lá na frente nós possamos ser bastante eficiente para fazer os gols e conseguir sair de lá com a vitória”, projetou Marlon.

O lateral-direito Carlos Eduardo está fora da partida devido ao terceiro amarelo, já o volante Eduardo sentiu dores musculares, antes da partida contra a Chape, e é dúvida. “Professor já conheceu o grupo sabe o grupo que tem na mão. Então ele vai escolher os 11 melhores para que ele possa colocar lá contra o Avaí e quem entrar possa se doar ao máximo para que possamos conseguir o resultado”, disse Marlon.

Eduardo relata caso de racismo no HH

Em entrevista coletiva, ontem, o lateral-direito da Chapecoense Eduardo relatou um caso de racismo sofrido no Majestoso na derrota do Criciúma para o time do oeste. “Fala para o torcedor que me chamou de macaco que estamos na Copa do Brasil e passamos por ele”, disse. Segundo ele, o fato ocorreu ao final da partida durante entrevista coletiva ao final da partida. Eduardo já vestiu as cores do Tigre em 2014.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar
Por: Lucas Colombo
Em: Criciúma

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.