Urussanga: projeto auxilia na prevenção e conscientização de pessoas com deficiência

Programa Prevenir desenvolve ações e oferece tratamento especializado contando com o apoio e incentivo da família

- PUBLICIDADE -

O programa Prevenir da Apae de Urussanga desenvolve ações de prevenção e conscientização a pessoa com deficiência. Alessandra Maciel Pereira, 36 anos, descobriu aos 8 meses de gestação que daria à luz a uma menina com Síndrome de Down. Foi por meio do curso de gestante oferecido pela Prefeitura Municipal de Urussanga, que Alessandra teve a oportunidade de saber mais sobre o Programa Prevenir e os trabalhos oferecidos pela Apae.

Através das áreas de fisioterapia, fonodiologia e terapia ocupacional, Alessandra obteve um tratamento diferenciado antes e depois da gestação. “Hoje a Antonella está com 6 meses, é uma benção na vida da nossa família. Sabemos que quanto mais incentivarmos e estimularmos, mais ela irá se desenvolver. É um privilégio ter em nossa cidade uma escola bem capacitada, com o apoio de profissionais bem preparadas, engajadas e comprometidas na estimulação que é essencial e será fundamental para o desenvolvimento da Antonella”, afirma Alessandra.

- PUBLICIDADE -

Com essa experiência de vida, Alessandra e seu esposo Adirlei mostram às famílias de pessoas com deficiência e que ainda não aceitaram a situação, que a inclusão é virtude e não fragilidade. “Criamos uma conta no Instagram (@antonella_cromossomodoamor), foi lá que buscamos informações que nos fortalecem com histórias de outras famílias e queremos com isso também levar amor e carinho a outras pessoas também. A beleza da vida está na superação dos desafios que elas nos apresenta”, ressalta.

Além da Apae oferecer estes serviços, o apoio e acompanhamento dos pais é essencial para o desenvolvimento do tratamento. “Primeiramente a aceitação dos pais diante dos filhos é muito importante e a partir do momento que a criança iniciar o tratamento conosco é essencial que todas as recomendações sejam seguidas e que compareçam as atividades, pois o não comparecimento prejudica o andamento do tratamento”, destaca a coordenadora local do Programa Prevenir, Janaina Borges de Medeiros.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.