Urussanga: cidade não terá mais semáforos

Decisão do Departamento de Trânsito acontece após a aceitação da primeira mudança para o sistema de travessia elevada que aconteceu no ano passado

- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Urussanga

- PUBLICIDADE -

Apostando em um trânsito mais humanizado, o município de Urussanga não vai mais contar com semáforos nas ruas da cidade. Os sinais serão trocados por travessias elevadas. As modificações começaram a ser feitas no segundo semestre do ano passado e tiveram aceitação positiva da população. “Não houve reclamação de acidente. Nada”, reitera Rafael Sales, diretor de trânsito de Urussanga.

O primeiro semáforo retirado foi no encontro da Praça Anita Garibaldi com a avenida Presidente Vargas e a Barão do Rio Branco, em frente ao casarão da família Nichele. “Aquela situação ali demonstrou para nós, e a população entendeu e assimilou que poderia ser aplicado isso nos outros dois semáforos. A cidade não comporta mais”, reforça Sales.

Para o diretor, o trânsito fluirá melhor com as novas sinalizações. “Em nosso entendimento, a cidade não comporta mais semáforos. Para termos um fluxo de trânsito melhor, as lombadas serão mais efetivas”, completa.

No último domingo, foi retirado o sinal de três tempos localizado no final da avenida Presidente Vargas com a rua Minerasil e começo da Nereu Ramos. “É o chamado semáforo da Caixa Econômica e do Morro do Hospital”, explica Sales. Dentro do cronograma da prefeitura, no próximo domingo, 19, será retirado o último semáforo de Urussanga:  no final da Nereu Ramos com a João Maria Cancelier, uma das ruas de entrada da cidade pelo bairro da Estação. O conhecido semáforo da Minaplast – como referência à empresa que fica nas imediações do sinal. “O município ficará sem semáforos. Nós estamos apostando nesse modelo porque teve um resultado positivo na situação do casarão da família Nichele”, enfatiza o diretor.

 

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.