Semana Santa inicia com a Bênção dos Ramos

O Domingo de Ramos da Paixão do Senhor abre a Semana Santa e rememora a entrada triunfal de Jesus em Jerusalém, aclamado pelo povo com hosanas, palmas e ramos de oliveira.

- PUBLICIDADE -

Já se aproxima o período em que os católicos irão celebrar o grande mistério da Paixão, Morte e Ressurreição de Jesus Cristo. O Domingo de Ramos da Paixão do Senhor abre a Semana Santa e rememora a entrada triunfal de Jesus em Jerusalém, aclamado pelo povo com hosanas, palmas e ramos de oliveira.

Neste fim de semana, os católicos celebram tradicional bênção dos ramos, comumente seguida de procissão de um determinado local até as igrejas. No sábado e domingo, a Igreja paramenta-se da cor vermelha, que lembra o martírio e, no lugar das flores, utiliza ramos de oliveira ou palmas. As cinzas para a próxima Quaresma serão obtidas através da queima desses ramos, que também são incinerados a fim de afastar tempestades e em momentos de insegurança, conforme a tradição mantida por muitos católicos.

- PUBLICIDADE -

“As pessoas queimam, num sinal de que Deus está conosco e de que não precisamos ter medo. É uma tradição muito forte, porque cortaram ramos de oliveira e colocaram onde Jesus iria passar. E onde Jesus passa, deixa bênçãos. Assim, nossos ramos são abençoados e os levamos para nossas casas como sinal de que Jesus ali passou com sua bênção. Podem ser deixados dentro de casa, ou mesmo no carro, como eu, muitas vezes, deixo um raminho. Eles lembram a vitória de Cristo sobre todos os males”, enfatiza o Bispo da Diocese de Criciúma, Dom Jacinto Inacio Flach.

De acordo com Dom Jacinto, o Domingo de Ramos é uma celebração que deve marcar a caminhada do cristão durante o ano todo, oferecendo seus dons a serviço do Reino e buscando sempre a conversão.

Coleta da Solidariedade torna possível iniciativas em todo o país

Neste domingo, como gesto concreto da Campanha da Fraternidade que, a cada ano, assume um tema diferente para reflexão, a Igreja, através da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), convida os batizados a participarem da Coleta Nacional da Solidariedade. A oferta de cada cristão católico é parte importante para que diversos projetos sociais e ações ligadas ao tema deste ano, “Fraternidade e e Políticas Públicas” se tornem realidade.

Todas as ofertas realizadas pelos fiéis farão parte dos Fundos Nacional e Diocesano de Solidariedade. Os fundos são compostos da seguinte maneira: 60% do total da coleta permanecem na diocese de origem e compõe o Fundo Diocesano de Solidariedade (FDS) e 40% são destinados para o Fundo Nacional de Solidariedade (FNS). Em Criciúma, a Casa do Egresso, a Casa de Acolhida Manjedoura (para dependentes químicos) e o Projeto Novos Caminhos (de produção de sandálias pelos encarcerados, através da Pastoral Carcerária) foram alguns dos beneficiados nos últimos anos pelo Fundo Nacional de Solidariedade. Em âmbito local, o Fundo Diocesano também propiciou, recentemente, auxílio à obra de reforma da Casa de Caridade que será inaugurada na Paróquia Nossa Senhora de Guadalupe, na região da Boa Vista, em Criciúma.

Missas que serão presididas pelo Bispo Diocesano no Domingo de Ramos (14/04):

10h: Missa com Bênção de Ramos e Festa dos 100 anos da Igreja São Sebastião – Morro Albino
19h: Bênção dos Ramos e Procissão – Gruta Nossa Senhora de Lourdes até Catedral São José, onde haverá Missa

Horários de celebrações nas paróquias da Diocese de Criciúma: http://bit.ly/2P8Mfhw

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.