FIA: Içara tem capacidade para arrecadar R$ 220 mil

A Declaração de Imposto de Renda começou na quinta-feira, dia 7, e vai até dia 30 de abril. O cálculo é feito em cima do imposto devido.

- PUBLICIDADE -

Cada município tem um potencial de captação de recursos, por meio de doações dedutíveis do Imposto de Renda (IR), para aumentar as receitas do Fundo da Infância e do Adolescente. Em Içara, o valor chega a R$ 220.017,63. Na noite de ontem, na Câmara de Vereadores de Içara, a equipe do FIA, gerido pela Secretaria de Assistência Social e pelo Conselho Municipal da Criança e do Adolescente (CMDCA) explanaram sobre as possibilidades e formas de doação, no ato de lançamento da Campanha 2019.

Segundo a articuladora do Fundo, Deise Macedo, o Fia tem como fontes de receita, doações de pessoas físicas e jurídicas, destinações no imposto de renda, multas administrativas, destinações dedutivas do imposto de renda. “Há o financiamento direto, procedimento que realizamos no primeiro edital do chamamento público, destinado as entidades e a chancela, que é a próxima etapa que faremos. As pessoas inscrevem seus projetos, e por meio da chancela, a comissão especial avalia e eles são autorizados a captar os recursos”, explica Deise.

- PUBLICIDADE -

A Declaração de Imposto de Renda começou na quinta-feira, dia 7, e vai até dia 30 de abril. O cálculo é feito em cima do imposto devido. “As destinação a doação é o modelo completo, mas caso a pessoa não necessite prestar contas à Receita. Pessoas físicas podem destinar até 6% no ano calendário, e 3% no ato da declaração do imposto de renda. Pessoa física só pode destinar no modelo completo pessoa jurídica 1% no lucro real”, ressalta.

O contador Plácido Pizzetti, de Criciúma, ressaltou a importância de contadores conscientizarem os seus clientes. “Somos os agentes que tem a ligação com o processo. Conhecemos as vidas dos nossos clientes. Precisamos criar o hábito, ter a iniciativa de se inteirar e de repassar adiante. Se os números se multiplicassem, poderíamos arrecadar muito mais”, falou.

“Se nós pagamos imposto de renda, nós temos que ter consciência de que podemos essa parte para nossa cidade. Quando investimos em algo, deixando em projetos que temos contato, que visualizamos e que conhecemos, reforçando os sonhos das equipes de xadrez, caratê, jiu-jitsu, na Apae e nos Escoteiros, que foram os projetos apoiados no primeiro edital”, completou o vice-prefeito Sandro Giassi Serafin.

“Importante frisar que o dinheiro do FIA é para complementar os projetos de esportes, saúde, educação, para atender crianças em situação de vulnerabilidade, não é para implantar políticas públicas, então é um valor que reforça e ajuda tudo que é oferecido às crianças”, pontuou o promotor Marcus Vinicius de Faria Ribeiro.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.