Em breve, em novo local

DIC de Criciúma irá deixar sede no bairro São Luiz e será transferida para prédio que abrigava a extinta ADR, no bairro Próspera

Foto: Lucas Colombo/Tribuna de Notícias
- PUBLICIDADE -

Lucas Renan Domingos

Criciúma

- PUBLICIDADE -

A Divisão de Investigação Criminal (DIC) de Criciúma vai mudar de lugar. A projeção é do delegado regional responsável pela 6ª Delegacia Regional de Polícia (6ª DRP), Vitor Bianco Júnior. Hoje, a unidade policial está instalada na Avenida Santos Dummont, no bairro São Luiz, mais ser transferida para a região da Próspera.

O novo local que deve ser a sede da DIC é o prédio que abrigava a extinta Agência de Desenvolvimento Regional (ADR) de Criciúma. “A estrutura foi colocada à disposição da Polícia Civil. O segundo andar foi cedido pelo Governo do Estado para a instalação de alguma unidade policial e escolhemos a DIC”, afirmou o delegado regional.

A mudança tem um motivo central. Com a ida para a antiga ADR, a Polícia Civil terá uma economia financeira. “Tendo em vista que a atual sede é alugada e gera um custo bastante considerável”, lembrou Júnior. “Como aquele prédio na região da Próspera é de pública, de propriedade do Governo do Estado, lá a gente teria um custo zero”, emendou o delegado.

Algumas melhorias na nova casa

A data correta para a finalização da transferência ainda não está definida. Isso porque o local onde estava a ADR precisará passar por algumas modificações para receber a Polícia Civil. “Estamos aguardando a vinda e um engenheiro ou arquiteto para ver o que será preciso fazer. São várias adequações necessárias, como estrutura de garagens e outras. Então seria o IGP (Instituto Geral de Perícias) embaixo, como já vem trabalhando e a DIC no andar de cima”, explicou.

 

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.