Economia & Investimentos: “Vamos falar do futuro”

- PUBLICIDADE -

MARIA TEREZINHA MILANEZ
ASSESSOR DE INVESTIMENTOS
maria.t.milanez@gripinvest.com.br

Atualmente, no Brasil, apenas 4% da população possui reservas financeiras para a sua aposentadoria, revela uma pesquisa realizada pelo Banco Mundial. Isto evidencia um aspecto cultural e comportamental do nosso povo, pois em alguns países com PIB bem menor, esse percentual pode chegar a até 60% da população.

- PUBLICIDADE -

Sabemos que aqui as pessoas tendem a pensar de forma mais imediata, mas vem se tornando cada vez mais importante o planejamento para o futuro.

E se você possui uma reserva, será ela suficiente até o final da sua vida?

Podemos constatar que duas pessoas podem mensalmente poupar um mesmo valor, porém como a reserva financeira para a sua aposentadoria é uma aplicação de longo prazo, a escolha de como você faz este investimento pode levar a resultados bem diversos. Daí a importância de uma boa alocação para que seu objetivo seja alcançado.

A reserva financeira ideal é aquela que, após decorrido o prazo de acumulação, proporcione ao investidor uma renda mensal preservando o capital investido, isto é, ela própria se converta em uma fonte de renda.

E daí entra a importância da escolha de alocação do seu portfólio de investimento para que não ocorram surpresas desagradáveis no futuro. E além da escolha, por ser um objetivo de longo prazo, o acompanhamento das mudanças conjunturais é essencial para a rentabilização necessária deste portfólio.

Esse é o papel de uma assessoria especializada em investimentos: trazer estudos de cenários e produtos para que você tenha um futuro tranquilo.

Nos próximos artigos, traremos dicas de como você pode chegar lá.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.