Criciúma: “Pequenos heróis” desfilam na Esucri/Uniasselvi em projeto de estudantes de Pedagogia

Crianças receberam fantasias feitas a partir de materiais reciclados

- PUBLICIDADE -

Em tempos em que a tecnologia tem recebido prioridade em diversas situações, estudantes do curso de Pedagogia da Esucri/Uniasselvi decidiram resgatar imagens do mundo do “faz de conta”. Através do projeto Pequenos Heróis, idealizado pelo professor Reginaldo Laurindo, crianças desfilaram pelo hall da instituição de ensino na noite dessa terça-feira, dia 26, vestidas de alguns dos personagens mais marcantes da infância: Aladdin, Soldadinho de Chumbo, Mickey e Minnie, Branca de Neve e o Príncipe Encantado, Fiona e Shrek, e outros.

A noite contou, ainda, com a apresentação das bailarinas da Culture Soul Cia de Dança. Segundo o professor responsável, que é também psicopedagogo e mestrando em educação, o projeto aconteceu a partir da teoria de Piaget sobre construtivismo, e as alunas das turmas PED 1908 e PED 1848 buscaram produzir as fantasias de fora lúdica e utilizando materiais recicláveis. “O objetivo foi promover o momento mágico de nossa infância, aprimorando a arte e construindo o saber em uma linguagem de aprendizagem”, destaca Laurindo.

- PUBLICIDADE -

Além do desfile, os participantes também arrecadaram roupas infantis que serão encaminhadas para instituições de apoio a crianças da região Sul de Santa Catarina. “Que bom que os alunos tiveram a ideia de utilizar o material reciclável para lembrar de nossos desenhos infantis e lendas. Não há idade para que continuemos a sonhar com nossos heróis da infância. Parabéns pela iniciativa e por engrandecer nossa instituição com este projeto”, ressalta o diretor da Esucri/Uniasselvi, professor Everaldo José Tiscoski.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.