Criciúma: novo preço da passagem em estudo

Próximo da data limite para anúncio dos valores da passagem da tarifa do transporte público, o Governo Municipal realiza o monitoramento mensal para chegar a um denominador, porém, o secretário da Fazenda, Celito Cardoso, enfatiza que a intenção é não aplicar nenhum reajuste. “A meta é não reajustar”, pontua.

Foto: Lucas Colombo/Arquivo/DN
- PUBLICIDADE -

Próximo da data limite para anúncio dos valores da passagem da tarifa do transporte público, o Governo Municipal realiza o monitoramento mensal para chegar a um denominador, porém, o secretário da Fazenda, Celito Cardoso, enfatiza que a intenção é não aplicar nenhum reajuste. “A meta é não reajustar”, pontua.

Para isso, é aguardado o dissídio dos motoristas e cobradores para analisar se isso não afetará os valores. “Estamos Aguardando este dissídio para ver qual impacto e analisar quais medidas serão possíveis a gente tomar para racionalizar no limite e deixar os usuários sem aumento pelo segundo ano seguido”, comenta.

- PUBLICIDADE -

O aumento aplicado pela A Administração Municipal à tarifa do sistema de transporte coletivo foi em 2017, quando os usuários passaram a pagar R$ 3,90 pela passagem no cartão e R$ 4,25 na catraca.

Na época, com o aumento de 14%, Criciúma ficou entre as cidades com a passagem de ônibus mais cara do estado. A prefeitura justificou o custo com a redução do número de passageiros.

Cardoso salienta também que o monitoramento, realizado de forma constante, engloba ainda o Conselho Municipal de Trânsito, as empresas prestadoras de serviço e os técnicos do Departamento de Trânsito e Transporte (DTT). “Acompanhamos cada variável para ver se vai ter impacto na tarifa ou não. Estudo permanente e continuo de oportunidades de melhoria na redução de custos para que a gente garanta mais um ano sem reajuste”, conclui o secretário.

 

 

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.