Criciúma: Divisão de Investigação indicia autores de homicídio no interior do presídio

Na madrugada de 27 de dezembro de 2018, o detento Leandro Souza da Silva foi encontrado morto dependurado por uma corda no pescoço no interior da cela 23, da Galeria E, do Presídio Regional de Criciúma, onde se encontravam recolhidos outros 12 detentos

Foto: Adecir Morais
- PUBLICIDADE -

Na madrugada de 27 de dezembro de 2018, o detento Leandro Souza da Silva foi encontrado morto dependurado por uma corda no pescoço no interior da cela 23, da Galeria E, do Presídio Regional de Criciúma, onde se encontravam recolhidos
outros 12 detentos.

De acordo com o delegado, André Milanese, inicialmente o caso foi tratado como suicídio, mas por intermédio das perícias criminais realizadas pelo IGP e IML foi constatado que o suicídio foi forjado, decorrendo a morte de asfixia diversa de enforcamento. “Através das investigações realizadas pela DIC foram obtidas robustas provas indicando que o homicídio foi praticado em conjunto por cinco detentos”, afirma o delegado. São eles: João Figueiredo Corrêa Junior, vulgo “Dui”, de 28 anos; Maximiliano Rodrigues Nunes, de 27 anos; Ricardo de Souza Cechinel, vulgo “Cachorro Louco”, de 27 anos; Alisson Américo Carvalho, vulgo “Jovem”, de 23 anos e Marcelino de Lima, vulgo “Lobão”, de 29 anos.

- PUBLICIDADE -

Na madrugada do assassinato os acusados retiraram a vítima a força da cama, o derrubaram no chão, o asfixiaram com um golpe de “mata leão” e depois o penduraram na grade para simular o suicídio. Foi apurado na investigação que a vítima era considerada “cagueta” (delator) e que havia sido decretada a morte por uma facção criminosa, cabendo aos cinco a missão de matá-lo. “Os cinco detentos, que continuam presos, foram indiciados pelos crimes de homicídio qualificado pela torpeza e asfixia e de participação em organização criminosa”, completa o Milanese.

Este era o último caso de homicídio do ano de 2018 pendente de conclusão. Em 2018 ocorreram 20 homicídios em Criciúma, dos quais 18 foram esclarecidos.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar
Por: Maíra Rabassa
Em: Criciúma

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.