Com agentes temporários, mais PMs nas ruas

Formados irão substituir policias nas CREs, no atendimento telefônico, vídeomonitoramento e auxiliar nos serviços administrativos

Foto: Divulgação/Polícia Militar
- PUBLICIDADE -

Lucas Renan Domingos

Criciúma

- PUBLICIDADE -

A 6ª Região de Polícia Militar (6ªRPM) conta agora com 31 novos agentes temporários. A solenidade de formatura foi realizada na manhã de ontem, na sede do Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC) em Criciúma. Os formados irão trabalhar nas Centrais Regionais de Emergência (CREs), no atendimento telefônico, vídeomonitoramento e auxiliar nos serviços administrativos, substituindo policiais militares.

Com isso, a PM conseguirá colocar mais efetivos nas ruas. É o que explica o coronel Cosme Manique Barreto, comandante da 6ª RPM. “Trabalhamos com agentes temporários desde 2010. Mas houve um período recente da saída de um grupo que ficamos sem novos formandos. Por conta disso, tivemos que colocar policiais militares para fazer essas tarefas que cabem aos agentes temporários. Agora, com esse novos, vamos poder colocar novamente os policiais militares para a atividade de policiamento ostensivo, o que trará mais segurança para a 6° RPM”, pontuou.

A possibilidade de disponibilizar mais efetivo policial na rua também é destacada pelo major Giovani Santos Constanza, secretário do curso de agentes temporários. “Em unidades menores, como nossos sistemas são amplos, acaba ocupando muito os policiais militares. Com a chegada dos novos agentes temporários nessas cidades, a gente consegue liberar quatro policiais, por exemplo, isso é uma guarnição que vai pras ruas”, evidenciou o major.

*Veja matéria completa na edição deste sábado, 8, do jornal Tribuna de Notícias.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.