Uso do celular ao volante ainda deve ser combatido

Durante quatro segundos, motorista percorre distância de 100 metros sem prestar atenção ao trânsito

- PUBLICIDADE -

Angelica Brunatto

Criciúma

- PUBLICIDADE -

O uso do telefone celular ao volante, além de ilegal é extremamente perigoso. Em uma rodovia, por exemplo, o motorista percorre um trecho de 100 metros enquanto olha durante quatro segundos para o aparelho. Apesar das diversas campanhas de conscientização sobre o tema, o uso do celular ainda é bastante frequente.
De acordo com o tenente Carlos Diego Apoitia Miranda, que atua no setor de planejamento do 9º Batalhão de Polícia Militar, somente em abril, 250 pessoas foram multadas pelo uso do celular na condução. “Este número é ainda maior, se levarmos em conta aqueles que não conseguimos abordar”, aponta.

A grande preocupação sobre o uso do aparelho ao volante é a perda de atenção ao trânsito. “O condutor pode pegar o celular para ver uma mensagem e pode acabar respondendo por lesão corporal ou até mesmo por um homicídio culposo, por ter causado um acidente”, releva o tenente.

Conversas em áudio

Atender ao telefone, mandar mensagens e usar o aparelho de qualquer forma é proibido ao volante. Mesmo assim, durante as abordagens, os policiais flagram muitos condutores enviando áudios através de aplicativos de troca de mensagens.

O tenente Apoitia ainda ressalta que, mesmo que os carros sejam equipados com centrais multimídias, o uso do aparelho celular no autofalante do veículo também é proibido. “Acaba tirando a atenção do condutor. A orientação é para que eles não façam o uso desta forma”, aponta.

Para poder utilizar o telefone celular, caso a chamada ou a mensagem seja de urgência e não pode ser respondida mais tarde, é necessário encostar o carro e colocar o sinal de alerta. “Depois que terminar a ligação, então, sim, ele pode voltar ao fluxo do trânsito”, afirma o tenente Apoitia.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar
Em: Criciúma

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.