Não Desistir Nunca

- PUBLICIDADE -
  • A gente sabe que em nossa vida o desafio de se manter sem desistir é bravo. É mais fácil desistir. Continuar, perseverar custa e custa caro. O grande perigo na vida é quando a gente não percebe que está desistindo. Quando lá no meio do jogo alguém para e diz: “eu não quero mais”, você sabe que ele desistiu. Pediu para sair. Claramente todos estão vendo que ele desistiu.
  • O problema é quando você percebe que tem um jogador que não dá mais o seu sangue, que não se esforça mais, está prejudicando o time porque nem o ele mesmo percebe que já desistiu, antes mesmo da partida terminar. Mesmo estando de corpo presente no campo ele já deixou de jogar a muito tempo. Essa é a desistência perigosa, é a desistência velada. É aquela que a gente corre o risco de fazer sem perceber que está fazendo. No caso do jogo, vai se jogar com um jogador a menos, porque ele está lá no campo fingindo que está jogando. O prejuízo é perder um componente, perder uma copa do mundo, a gente chora uns dois ou três dias e depois passa. Agora coisa irracional é a gente chorar quando o nosso time perde, porque o que a gente perdeu de verdade? É claro que ganhar é bom! Um time passa.
  • Agora quando é a vida da gente que está em jogo, aí esta negligência a gente não pode permitir. E ainda que exista na sua vida outros jogadores que fazem parte dela, o principal jogador é você. É você quem tem que fazer a defesa, você é o goleiro, você é o meio campo e tem que ser o artilheiro. Tem que ser o centroavante, aquele que faz gol. Sabe por quê? Nesta partida, ainda que você tenha alguém jogando com você, o protagonismo é seu. E se você começa a entregar os pontos, daqui a pouco você não tem mais condições de vencer. Por quê? Porque acostumou-se com a desistência. Acostumou-se a perder. Foi abrindo mão de coisas preciosas, de situações preciosas, de pessoas preciosas, de realidades preciosas, porque não estava atento com o jogo que estava acontecendo.
  • Eu tenho pedido muito a Deus a sensibilidade para que Ele me ajude sempre a perceber a vida que eu estou vivendo. Não quero viver sem perceber a vida. Eu não quero correr o risco de que a pressa dos meus dias venha me retirar à capacidade de saborear cada momento que eu posso viver.
  • Será que eu preciso mudar alguma coisa em meu ritmo de trabalho para que eu tenha condições de perceber a minha vida e saborear cada detalhe da minha existência?
  • Eu sei que a sua vida tem muita coisa acontecendo em torno dela, mas eu tenho medo do que está acontecendo. Porque você tem que estar ali aonde tudo está acontecendo. Eu não posso fazer da minha ação um esconderijo do meu ser, um lugar onde eu não coloque junto o meu ser.
  • O meu ser não pode estar escondido em tudo isso, ele tem que estar dentro. As vezes a gente vai fazendo coisas e julgando de um jeito que a gente não percebe que está perdendo. E de repente quando você observa o déficit é muito grande. E diz: “meu Deus do céu, o que eu fiz com minha vida, porque eu travei aquela pessoa daquele jeito. Porque eu não fui mais próxima, porque eu não trabalhei menos ou trabalhou mais, porque eu não me dediquei mais a mim, aos meus projetos, porque eu não fui capaz de me amar um pouco mais e consequentemente ter amado um pouco mais e melhor os que estavam ao meu redor. Porque eu não tive disposição de lidar com aquele meu defeito tão horroroso e que hoje está muito pior que naquele tempo da juventude? Porque não tive a coragem de ser verdadeiro coooo
  • Mais cedo ou mais tarde iremos nos fazer estas cobranças. Eu fico pensando o que Jesus fazia com as pessoas, quando Ele as encontrava era justamente despertar nelas as perguntas. Jesus era um homem que aguentava, interrogava. Quando as pessoas estava diante dEle, era inevitável, olhando para o jeito como se vivia, escutando o que Ele falava, as propostas de vida que Ele tinha, olhando para o caráter dEle, para o jeito de Ele ser gente, era inevitável as pessoas não se perguntarem: “Porque eu também não posso viver assim?”
  • A presença de Jesus inquietava, provocava perguntas, respondia também. Assim tem que ser hoje. A nossa pertença religiosa tem que ser um incômodo. Uma paz inquieta. De você ter a consciência de que sua experiência religiosa lhe faz perguntar o tempo todo se você está fazendo a coisa certa. Se você está escolhendo a coisa certa, se você está julgando do jeito certo. Para que você não se sabote. Você não tem o direito de viver se sabotando. É impressionante como o processo de sabotagem é inconsciente. A gente se auto destrói sem saber que está fazendo isso.
  • Se você for pensar o que é um vício na vida da pessoa, é uma sabotagem. É permitir que as coisas entrem em mim e as deixo ir tomando conta. Muitas escolhas que nós fazemos, elas danificam o nosso funcionamento para o resto da vida. É como um vírus mortal. Contamina porque fizeram coisa errada. Sabotagens que vamos fazendo.
  • Quantas vezes nos sabotamos com ciúmes. Eu tenho ciúmes daquela pessoa e aí começo a alimentar coisas ruins dentro de mim. O ciúme mostra que eu não alcancei o meu objetivo de ser dono do outro ou ter o que o outro tem.
  • Quantas vezes deixamos de vencer por causa da inveja que sentimos do outro. O bom da vida é você perceber que o dom do outro forma uma parceria com o seu.
  • O que hoje eu gostaria de lhe convencer é que você não queria a destruição, não queria sabotar, não queria se destruir. Mas quem sabe, você, você voltar a creditar de voltar a ter a possibilidade de um novo tempo, acreditar que ainda existem coisas reservadas para você. Que você pode parar de fumar hoje. Que você pode parar de usar esta droga que está lhe destruindo, que você pode jogar fora todos os sentimentos mesquinhos que por ventura você tenha alimentado dentro do seu coração. Que você pode abrir as janelas da sua casa para que um novo ar venha espantar o que está estragado.
  • Você percebe que as vezes você entra em um ambiente que cheira mal e quem está lá dentro já se acostumou e nem percebe mais? É assim. Muita gente desistiu e não percebe que desistiu. Está vivendo um processo autodestrutivo e não acredita em quem está alertando ou as vezes nem tem alguém para o alertar, que abra os olhos, que me motive, que me encaminhe para uma mudança.
  • A vida é possível. Até mesmo aqueles que se sentem solitários. Vá a busca. Conquiste as pessoas. E quando as tiveres, não perca. Não deixe elas irem embora. São preciosas. Tenha a oportunidade de conquistar as pessoas que fiquem ao seu lado mesmo com suas mazelas, para que ao chegar ao final, ter a certeza da missão cumprida.
-- PUBLICIDADE --
Compartilhar
Por: Marciano Bortolin
Em: Criciúma

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.