- PUBLICIDADE -

Criciúma

Decorar a árvore de Natal e montar o presépio retratando o nascimento de Jesus é um momento especial desta época do ano. Na maioria das vezes, o gesto costuma unir as pessoas e ajuda a transmitir a magia e o encanto típicos da data. Mas, para a família de Zélia Maria Paim Zanette, de 70 anos, essa tradição é ainda mais singular. Ao invés do pinheirinho de plástico comum, a moradora do bairro Santo Antônio, em Criciúma, enfeita uma árvore natural.

- PUBLICIDADE -

A ação já faz parte de uma antiga “herança” da família, mantida com muito carinho e amor ao longo das décadas. Conforme Zélia, o costume vem desde a infância, quando ainda morava em Forquilhinha. “Minha mãe sempre teve essa tradição. Nós fazíamos na véspera do Natal, quando íamos buscar o galho de pinheiro”, conta.

E o processo de montagem é cercado por muito amor. Atualmente, Zélia conta com a ajuda dos filhos e dos netos para deixar a árvore cada vez mais bonita. Neste ano, o pinheirinho ganhou até uma cartinha escrita pela neta, de nove anos. “A gente faz isso pelas crianças. Às vezes fico desanimada, mas lembro deles e de que alguém fez isso para mim lá na minha infância. E como era bonito. Então agora tem que mostrar para eles. Isso é algo que marca bastante”, comenta.

Confira a reportagem completa na edição de feriado do jornal Diário de Notícias. 

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar
Por: Suelen Bongiolo
Em: Criciúma

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.