Educação ambiental é a base da conscientização

Preocupação com o futuro do planeta se baseia em mudanças que devem ser praticadas agora e de maneira ampla por toda a sociedade

- PUBLICIDADE -

Suelen Bongiolo

Criciúma

- PUBLICIDADE -

Quando se fala em conscientização ambiental, muito se vem em mente. Desde pequenos gestos nas escolas até algumas atitudes adotadas pelas pessoas no cotidiano remetem, de alguma forma, à preservação do meio ambiente. Entretanto, as ações que vêm sendo empregadas na sociedade ainda são insuficientes para garantir uma vida de qualidade e um futuro para as próximas gerações.

Segundo o professor do curso de Engenharia Ambiental e Sanitária da Universidade do Extremo Sul Catarinense (Unesc), Mário Ricardo Guadagnin, há muito ainda o que se fazer quando se fala nesse assunto. “A principal base para a conscientização é a sensibilização, a educação ambiental. Enquanto não investir nisso, não haverá mudanças. É preciso ter consciência que nossas atitudes ambientais refletem na vida de todos. Ter equilíbrio e uma vida sustentável é uma utopia inalcançável, se não houver uma revisão dos hábitos de consumo”, ressalta.

Revisar hábitos, evitar desperdícios, investir na correta destinação dos resíduos e promover o consumo consciente – evitando a exploração e degradação – são alguns dos caminhos que podem ajudar a mudar algo. “Todos os ambientes foram modificados pelo ser humano e de forma brutal, e estamos fadados à falência se não revisar tudo isso”, pontua o professor.

Confira o especial do Dia do Meio Ambiente no DN desta terça-feira

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar
Em: Criciúma

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.