Araranguá: Transição de gestão do HRA deverá ocorrer nos próximos dias

Assunto foi discutido em audiência entre o secretário executivo da ADR, Heriberto Schmidt, e o secretário de Estado da Saúde, Acélio Casagrande

Foto: Divulgação
- PUBLICIDADE -

Araranguá/Florianópolis

A transição de gestão do Hospital Regional de Araranguá (HRA) deverá ocorrer nos próximos dias. O assunto foi discutido nessa quinta-feira, 1º, em Florianópolis, em uma audiência entre o secretário executivo da Agência de Desenvolvimento Regional (ADR) de Araranguá, Heriberto Afonso Schmidt, e o secretário de Estado da Saúde, Acélio Casagrande.

- PUBLICIDADE -

Os moradores da região estão preocupados com a troca de gestão, com receio que o atendimento na unidade hospitalar seja prejudicado. A preocupação se dá porque o Instituto de Desenvolvimento, Ensino e Assistência à Saúde (Ideas), administrador desde janeiro de 2018 (inicialmente de forma emergencial), informou que deixará a gestão do HRA, com base em decisão tomada em Assembleia Geral do Conselho de Administração, no dia 10 de outubro.

O segundo colocado na licitação foi o Instituto Maria Schmitt (Imas), que deverá assumir os trabalhos frente à administração da unidade hospitalar nos próximos dias. O Contrato de Gestão 001/SES/SC/2018 com o Governo do Estado é de cinco anos, podendo ser renovado. O Imas já administra o Hospital Santo Antônio, de Timbé do Sul; o Dom Joaquim, de Sombrio; a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Próspera, em Criciúma; e o Hospital de Florianópolis.

De acordo com Schmidt, está sendo aguardado o parecer da Procuradoria Geral do Estado (PGE), solicitado pela Comissão de Licitação da Secretaria de Estado da Saúde (SES), para que seja realizada ou não a rescisão do contrato com o Ideas e oficializada (caso a decisão da PGE seja favorável) a posse do Imas.

Durante a reunião, Casagrande confirmou ainda que todos os contratos em andamento com o hospital serão sub-rogados, inclusive com os profissionais, ou seja, acontecerá a transferência dos mesmos para a outra Organização Social, para que que não haja perda de serviço. “Nosso objetivo é de que a transição seja feita de forma rápida, sem demissões e sem prejudicar os atendimentos”, ressalta.

Já a abertura da Policlínica Regional ocorrerá em breve, com início gradativo do atendimento das especialidades. “Os equipamentos já estão na SES para serem entregues na Policlínica. A região deverá ser referência no Sul em serviços de oftalmologia, para atender os 44 municípios do Sul de Santa Catarina, através de cirurgias de retina, de glaucoma, catarata, além de consultas e exames. Esta ação no Extremo Sul faz parte de um projeto de regularização da integralização da saúde nas regiões, reduzindo as filas de espera pelos procedimentos, que muitas vezes são realizados apenas na capital”, destaca Schmidt.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar
Em: Araranguá/Florianópolis

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.