- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Criciúma

- PUBLICIDADE -

Apresentado ao lado do técnico Doriva e do presidente Jaime Dal Farra, o novo assessor de futebol do Criciúma, Ricardo Rocha, prestará consultoria ao clube através de uma empresa privada, mas promete envolvimento no dia a dia do clube. “Eu vou surpreender vocês. Não pensem que eu vou ficar um ou dois meses sem vir aqui. Não é assim que ‘a banda toca’. Tenho outras atividades, mas estarei no dia a dia para auxiliar”, comentou.

Ricardo estará ligado em tudo o que acontecer no clube e demonstra confiança completa na diretoria e comissão técnica. Ele quer fazer a diferença no Criciúma e resgatar a imagem da instituição. “Eu vim para melhorar o clube, eu não quero ser mais um. Até posso ter mais um ou dois clubes que vou ajudar, mas o Criciúma não vai ficar na mão. Foi o primeiro clube que me contratou, que confiou em mim. Quando dei uma entrevista falando da empresa, a primeira ligação que recebi foi do Jaime”, pontuou o assessor.

A prioridade está traçada: o futebol. Embora tenha algumas ideias para ações de marketing em busca de novos sócios, o foco está no campo. “A prioridade é o futebol. Não dá para misturar muito. Tenho coisas para trazer ao Criciúma, agora, tudo funciona com vitórias. E isso se conquista em campo. Ganhando você trás coisas boas para a cidade e para a torcida. Não estou prometendo nada, mas quero resgatar o torcedor e a gente precisa disso. Só tem um clube na cidade”, ressaltou.

Em busca de vitórias para seguir o projeto

Campeão do mundo com a Seleção Brasileira, como jogador, em 1994, Ricardo sabe que precisa de vitórias em campo para que o projeto idealizado com a diretoria tenha sequência. “A verdade do futebol é uma: vitória. E o projeto? Se começa a perder, os projetos vão por água abaixo. Treinadores e empresas são mandados embora. Vamos fazer de tudo para ser uma equipe de carvoeiros. Vamos resgatar o torcedor que ama o clube. Para mim, a vida segue. O que passou, fica para trás. É um Criciúma forte e unido”, enfatizou.

Rocha ainda diz que o clube precisa de títulos e deve ter uma mentalidade vencedora em todas as competições. “O Criciúma tem que lutar por tudo que participar. A Copa do Brasil é muito difícil, mas tem que lutar. Tem que pensar em titulo em todas as competições. Vai acontecer? Depende. Temos treinador capacitado e campeão. Ele venceu com o Ituano quando ninguém acreditava. Um cara sério e estudioso que foi vencedor também no Vasco. Eu gosto de trabalhar com quem ganha títulos. É muito bom”, disse.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.