- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Criciúma

- PUBLICIDADE -

Mais de uma década depois de marcar 12 gols no título do Criciúma na Série C, em 2006, o atacante Beto Cachoeira é eleito o craque do do 70º Campeonato Regional da Liga Atlética da Região Mineira (Larm), a Taça “Carvão Mineral”. A divulgação aconteceu na noite desta segunda-feira, durante a cerimônia de entrega da premiação aos melhores da competição. A festividade aconteceu na sede da Sociedade Recreativa Mampituba. “Estou agradecido. Tivemos um ano abençoado no Metrô. O prêmio individual é consequência, o que planejamos eram prêmios conjuntos, ou seja, títulos. A gente fica feliz, quem não gosta de ser reconhecido, mas o mais importante foi obtido junto com todos”, comentou Cachoeira.

A premiação foi dominada pelo campeão Metropolitano: foram nove jogadores na seleção. Andinho e Matheus Laguna, do Caravaggio, vice-campeão, completaram a equipe escolhida pelos especialistas. Jean Reis, também do Metrô, foi escolhido como melhor técnico. Ramon Abatti Abel foi eleito o melhor árbitro, enquanto Elen Portal e Guilherme Costa são os melhores assistentes. “O campeonato foi bom. Não tivemos ato de indisciplina maior, todos os jogos transcorreram normalmente e, mais uma vez, conseguimos entregar o troféu dentro das quatro linhas, que é o objetivo da entidade”, comentou o presidente da Larm, Emerson Lodetti.

Sem intenção de parar de jogar

Com 37 anos e uma “cachoeira” de gols, Beto nem pensa em parar. O gaúcho André Roberto Soares da Silva conclui uma temporada fora de série. Ele disputou quatro campeonatos pelo Vermelhão da Veneza e ganhou todos. Durante a temporada, o centroavante fez 25 partidas e anotou 32 gols. Chegou a fazer cinco em um jogo só: foi nos 10 a 0 diante do Avenida, de Praia Grande, pela Copa Sul dos Campeões. Mais quatro foram anotados diante do tradicional rival, Azulão, nos históricos 7 a 1.

No Regional da Larm, Beto marcou dez gols em 13 jogos, média de 1,3 bolas na rede por jogo. Para nível de comparação, o vice-artilheiro, Marcel Emerim, do Caravaggio, marcou “apenas” seis vezes. Ou seja, Cachoeira teve mais do que o dobro de gols que o segundo colocado. “Em dois anos que estou no Metrô, consegui passar o Maurício, que era o maior artilheiro do clube. Sou agradecido pelos companheiros, pois sozinhos não se faz nada”, ressaltou o centroavante.

Cachoeira “massacrou” ainda mais na Copa Sul dos Campeões: foram 16 gols em oito jogos. Nas conquistas do segundo semestre, Beto fez menos gols, mas não foi menos decisivo. Foram três bolas na rede, nos quatro jogos do título do Estadual de Amadores, e não balançou as redes nas três partidas pelo Sul Brasileiro.

Ele sequer pensa em parar de jogar. Beto tem muita “lenha para queimar”. “Tem muita coisa para jogar. Indiferente da idade, a gente vê exemplos como o Fá e o Dudu, que são lendas vivas do amador. Eles ganharam tudo e seguem com a gente. Faz só três anos que estou no Amador, então deixa eu seguir um pouco mais”, finalizou Beto.

Confira todos os vencedores

Goleiro:                           Passarela (Metropolitano)

Lateral Direito:                Andinho (Caravaggio)

Zagueiro Direito:             Cleiton (Metropolitano)

Zagueiro Esquerdo:         Shayder (Metropolitano)

Lateral Esquerdo:            Fá (Metropolitano)

Volante Direito:              Filipe (Metropolitano)

Volante Esquerdo:          Ronaldo Gramadense (Metropolitano)

Meia Direita:                   Dudu (Metropolitano)

Meia Esquerda:               Andrei (Metropolitano)

Primeiro Atacante:          Matheus Laguna (Caravaggio)

Segundo Atacante:          Beto Cachoeira (Metropolitano)

Técnico:                           Jean Reis (Metropolitano)

Artilheiro:                          Beto Cachoeira (Metropolitano)

Árbitro:                            Ramon Abatti Abel (Larm)

Árbitros Assistentes:       Elen Portal e Guilherme Costa (Larm)

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.