- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Criciúma

- PUBLICIDADE -

Fotos: Lucas Colombo

Apesar do empate diante do Figueirense, o técnico Mazola Júnior não acredita que o resultado seja tão catastrófico assim. O comandante considera que o time do Criciúma está em evolução e pode fazer um campeonato mais aceitável, pelo que está apresentando em campo. “Saio muito mais esperançoso do que saí do jogo contra o São Bento e, principalmente no jogo contra o Boa Esporte. O Figueirense é uma grande equipe, com bom investimento e um trabalho contínuo. É lógico que tínhamos que ganhar, precisávamos ganhar, mas, dentro da situação que nos encontrávamos no campeonato, hoje, pelo que o time está apresentando, nos dá a confiança de fazer um campeonato tranquilo, aceitável, se a equipe continuar trabalhando da mesma forma”, comentou.

O técnico também diagnosticou os problemas que a equipe teve na etapa final. “Tivemos pouca agressividade nas bolas paradas contra nós, alertamos isso no intervalo. Tirando os cruzamentos, o Figueira não criou nada. Então, não acredito que há algum motivo para grandes tristezas”, completou.

A queda no segundo tempo, de acordo com Mazola, aconteceu devido ao cansaço de muitos jogadores. “Eles sentiram ainda o jogo de sábado. Tivemos que fazer algumas alterações, mas, volto a dizer, fora os cruzamentos, eles não criaram. Na segunda parte, pelo desgaste do pessoal do meio e da linha avançada, demos muito espaço para um grande time, principalmente para que eles cruzassem na linha de fundo”, ressaltou.

A falta de opções para o ataque é comentada pelo treinador. “As opções na linha de frente estão muito reduzidas. Temos que jogar a responsabilidade em cima do Andrew e ele ainda não tem estofo para isso. Toda essa somatória que ocasionou isso. O resultado não foi tão catastrófico. Desde que cheguei, foi o adversário mais qualificado que nós jogamos, nesses nove jogos que o Criciúma fez comigo”, finalizou Mazola.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.