Simulados preparam alunos para o vestibular

Estudantes do Ensino Médio Senai Conecte participaram de dois dias de provas

- PUBLICIDADE -

Criciúma

A prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) ocorre daqui há seis meses mas já tem aluno preocupado em alcançar a pontuação necessária. Pensando em ajudar na preparação do jovem que está fazendo o ensino médio focado em tecnologia e tem interesse no Enem e outros vestibulares, o SenaiCriciúma promoveu nessa quarta e quinta-feira o simulado pré-vestibular.

- PUBLICIDADE -

Ao longo destes dois dias, sessenta estudantes do 1º e 2º ano do Ensino Médio Conecte participaram da iniciativa, que buscou testar os conhecimentos dos jovens para que alcancem 600 pontos. Na quarta-feira, a prova foi sobre linguagens e ciências humanas. Já nesta quinta-feira, 10, os alunos realizaram o teste sobre ciências da natureza e matemática.

A participação dos pais é indispensável na busca pelo resultado desejado. A analista de recursos humanos Giselia Zanatta Martins, mãe do aluno Gabriel, de 15 anos, do 1º ano, vê o simulado de forma essencial para as futuras aprovações. “Agrega valor pra ele nos estudos e na vida pessoal. Porquê assim vai ter as noções básicas, já que não havia feito simulado ou Enem. Vejo que ele amadureceu muito neste primeiro semestre. O simulado do Enem veio numa boa hora, e acredito que todos irão atingir a pontuação, já que estão sendo preparados diariamente”, pondera Giselia.

Assim como a mãe, o estudante Gabriel Zanatta Martins avalia essa etapa como importante para o futuro. “Foi uma experiência inovadora. Eu que nunca havia visto algo desse tipo, fiquei pasmo na hora que peguei o caderno de respostas. Achei o simulado com a dificuldade média e até mesmo aprendi coisas com ele. Foi divertido de participar, espero que ocorram outros pois foi uma experiência única trabalhar com um próprio simulado do Enem”, conta o jovem.

Os resultados dos simulados são direcionados para a plataforma Geekie, iniciativa do Senai, que proporciona aos alunos e professores avaliarem o desempenho dos estudantes, e a partir desta página, os professores indicam materiais de reforço. “Vejo o simulado como base até em relação ao comportamento deles nessas situações, o que é permitido ou não nessas provas. Com o simulado eles conseguem avaliar os conceitos, pontos fortes e fracos. Além disso, estão em contato com a interpretação de texto e a tomada de decisões”, pontua a professora de matemática, Diana Morona.

Até para quem tem experiência, participar do simulado é algo novo. A jovem Letícia Magalhães Garcia, do 2º ano, de 16 anos, conta que já consegue perceber a diferença no desempenho da prova deste ano com a anterior. “Esses simulados nos ajudam muito. Primeiro que, com eles nós aprendemos a controlar um pouco a ansiedade, o tempo de prova, assim vamos pegando o modo de como fazer e interpretar as questões, outro ponto que acho muito importante”, explica Letícia. “Nos simulados do ano passado tive muito mais dificuldade, apesar de o tempo ser menor esse ano. Agora, me sinto mais preparada”, complementa a estudante.

Aliados a este desafio, os jovens podem participar uma vez por semana do Clube Enem, que corrobora para a evolução escolar. Em junho, eles irão realizar apenas simulados de redação. Os estudantes do 1º ano devem realizar ao longo de 2018, quatro simulados. Já o 2º ano deve participar de oito. E com a experiência destes dois dias, os alunos já estão se inscrevendo para os vestibulares de inverno da região, UFSC e Enem, que ocorre nos dias 4 e 11 de novembro.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar
Em: Criciúma

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.