Alunos do Senai desenvolvem mão robótica

Estudantes da instituição de Criciúma desenvolveram o protótipo por meio da impressão 3D e prototipagem Arduíno

Foto: Divulgação/Senai
- PUBLICIDADE -

Criciúma

O Clube Empreender – Prototipagem, do Senai Criciúma, desenvolveu o protótipo de uma mão humana. Através da impressão 3D e prototipagem Arduíno, ferramentas disponíveis no Laboratório Aberto da instituição, foi possível produzir este trabalho, que consegue controlar e fazer movimentos que uma mão humana é capaz.

- PUBLICIDADE -

O projeto ainda está em fase inicial, contudo, a mão já faz o movimento de abrir e fechar sem dificuldades. Segundo o professor de introdução à computação, Angelo Machado Bortolon, o objetivo foi mostrar aos alunos que, com baixo custo da impressão 3D é possível montar uma mão que, posteriormente, pode se tornar até uma prótese a alguém que necessite, além de unir teoria e prática.

“A equipe de alunos queria um desafio, a partir disso surgiu a ideia da mão robótica. Através de pesquisas feitas por eles, o modelo em 3D da mão foi encontrado em um repositório de itens 3D, que logo após foi impresso em nossas impressoras do Laboratório”, explica o professor. “A montagem mecânica e eletrônica e a programação com base do Arduíno foi o próximo passo. Como ainda estamos na fase inicial do projeto, a mão será controlada ou fará comandos pré-definidos por software”, complementa.

Saiba mais

O Clube Empreender – Prototipagem é um dos Clubes do Ensino Médio Conecte, atividades que podem ser realizadas no contraturno, conforme escolha do estudante. Este tem foco em criar protótipos e soluções em robótica, além de dar a vivência de como é montado um projeto de um produto.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar
Em: Criciúma

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.