Novo passo: Banco de Olhos já pode abrir

Basta agora que o Ministério da Saúde dê aval para a abertura efetiva. Uma vistoria deve ocorrer nas próximas semanas

Foto: Divulgação
- PUBLICIDADE -

Matheus Reis
Criciúma

Um ano e meio depois da inauguração, o Banco de Olhos de Criciúma dá mais um passo para poder abrir as portas. O local recebeu, no início desta semana, o alvará sanitário de funcionamento, considerada uma das etapas mais difíceis, e está com o protocolo feito no Sistema Nacional de Transplantes do Ministério da Saúde. Com o alvará, o Banco já pode funcionar, porém, a Secretaria de Estado da Saúde espera uma autorização do Ministério da Saúde para poder faturar, ou seja, a parte financeira. Esta autorização será dada após vistoria do Ministério, prevista para as próximas semanas. A data da vistoria ainda não foi informada.

- PUBLICIDADE -

Captação em Criciúma

Após a habilitação/credenciamento pelo Ministério da Saúde, a avaliação dos tecidos oculares captados na Região Sul do Estado serão realizadas em Criciúma, melhorando assim a qualidade dos tecidos ofertados para transplante, pois o tempo de deslocamento do hospital da região até o Banco de Olhos será menor. Os profissionais deverão ser contratados pela mesma Organização Social que administra o Hospital Materno Infantil Santa Catarina. Estes técnicos serão capacitados pelos profissionais do Banco de Olhos da Grande Florianópolis, que também é administrado pela Secretaria de Estado da Saúde.

Custeio entre Estado e Amrec

Em uma reunião no final de abril entre a Secretaria de Estado da Saúde e representantes da Prefeitura de Criciúma, o Estado se comprometeu em fazer a gestão do Banco de Olhos. De acordo com a secretária municipal de Saúde Francielle Gava, a decisão foi tomada pensando que o Município não deve ficar responsável por algo que será utilizado de forma macro-regional, pela Amrec, Amesc e Amurel. “Agora, já estamos planejando um projeto de lei com inventário para que os equipamentos e mobiliários do Banco de Olhos sejam cedidos ao Estado”, destaca Francielle.

A secretária comemora o alvará. “Este é um passo bem relevante porque, por mais que estivéssemos em busca de toda a documentação, faltava um nome para ser técnico responsável. O Estado encaminhou e agora a gente segue”, acrescenta.

Leia a matéria completa na página 5 do Jornal Diário de Notícias desta terça-feira, 10

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.