Morte de irmãos idosos em Sombrio foi latrocínio

Crime foi elucidado pela Polícia Civil da cidade. Mandado de prisão preventiva foi expedido, contudo, acusado já está preso por delitos de violência doméstica

Foto: Reprodução/Correio do Sul
- PUBLICIDADE -

Matheus Reis

Sombrio

- PUBLICIDADE -

A suspeita da Polícia Civil se confirmou: trata-se um latrocínio a morte dos dois irmãos idosos, encontrados na própria casa, em Sombrio, no Extremo Sul do estado, no dia 29 de novembro. O mandado de prisão preventiva contra o suspeito foi expedido, contudo, de acordo com o delegado da cidade, Luis Otávio Pohlmann, ele já havia sido preso, também no dia 29 de novembro, em decorrência de crimes de violência doméstica.

Mesmo que o laudo com as análises do local do crime não tenha sido finalizado, Pohlmann aponta que, desde o início das investigações, a hipótese de homicídio tinha sido afastada porque alguns objetos sumiram da casa. O policial acredita que, pela posição em que os corpos foram encontrados, tudo indica que João Felisberto, de 66 anos, e Manoel Felisberto, de 85, flagram W.S.G., de 27 anos, na hora em que tentava furtar a casa.

Segundo o delegado, o trabalho de investigação indicou, ainda, que o criminoso planejou a ida até a casa e que o crime deve ter ocorrido no final de semana que antecipou o dia 29. “Ele queria os objetos para poder trocá-los por entorpecentes. Provavelmente quando ele estava lá foi flagrado e, para conseguir subtrair a bicicleta, os dois botijões de gás e celulares, deferiu golpes de faca e com pedaço de pau nas vítimas”, relata.

G., é usuário de crack e já tem diversas passagen policias por violência doméstica e por danos ao patrimônio. “Ele negou a autoria do crime, mas isto vai contra todo o conjunto probatório apurado”, acrescenta Pohlmann.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.