Escadaria com mais de 30 anos é isolada

Proprietário do terreno cercou a entrada do local na última semana bloqueando a passagem dos moradores

- PUBLICIDADE -

O isolamento de uma escada com mais de 30 anos causou descontentamento nos moradores do bairro Cruzeiro do Sul, em Criciúma. O caminho que facilita a passagem das pessoas que desejam ir de uma rua para outra, foi cercado na última semana. De acordo com o presidente da Associação de Moradores, Vanderlei Ghedin, o proprietário afirmou que possui a escritura do local e deixará o caminho bloqueado.

“Acreditamos que ele também cercou uma área de preservação permanente. Não passam muitos moradores, mas estamos tentando reverter a situação, pois é o caminho que liga um bairro ao outro. Caso continue bloqueado, os pedestres precisam dar toda a volta”, explica Ghedin.

- PUBLICIDADE -

Ainda de acordo com o presidente do bairro, uma solicitação foi enviada para prefeitura que se comprometeu em avaliar a situação nos próximos dias. “Levamos o problema e um levantamento da área será realizado. Vamos averiguar se realmente isso poderia ser feito”, complementa.

Para o morador Pedro Luis Goulart, que reside no local há 23 anos, a atitude do proprietário do terreno é prejudicial ao bairro. “Achei uma ignorância, porque ele não precisava ter cercado a escada que já está ali há muitos anos. Todos já estão acostumados com esse caminho”, explica.

Já, Sabrina Domingos, que mora do outro lado da escada conta que a prefeitura limpou o local após a venda do terreno. Antes, há vários meses um tronco de arvore também bloqueava a passagem. “Uma chuva derrubou um tronco e ficamos meses sem conseguir passar. Semana passada a prefeitura veio e retirou, logo após isso cercaram”, conta.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.