Criciúma: Perícia deve avaliar motivo de incêndio na Librelato

Foram utilizados 15 mil litros de água para conter as chamas em pelo menos 600 m² da empresa

Foto: Divulgação
- PUBLICIDADE -

Matheus Reis

Criciúma

- PUBLICIDADE -

Um incêndio assustou os trabalhadores e vizinhos da unidade da Librelato, no Bairro Sangão, em Criciúma, no início da tarde desta segunda-feira, 26. Segundo informações do capitão Henrique, do Corpo de Bombeiros, que trabalhou na operação contra o fogo, foram necessários 15 mil litros de água para apagar as chamas que tomaram pelo menos 600 m² da empresa. Ação contou com a participação de mais de 10 bombeiros dos batalhões de Criciúma e Forquilhinha. Uma perícia deve analisar o motivo do sinistro, contudo, de acordo com o capitão, ela leva em média 20 dias para ser finalizada.

As nuvens de fumaça escura puderam ser vistas de longe. Conforme Henrique, elas se sobressaíram porque o fogo ocorreu em um setor de pinturas, ou seja, com grande presença de solventes e tintas. “Estes produtos fazem o incêndio se alastrar e levantar fumaça preta porque há ausência de oxigênio. Nosso trabalho durou cerca de 1h30 por tivemos dificuldade de chegar ao foco por conta da fumaça densa. Este trabalho só foi possível porque utilizamos o equipamento de respiração”, explica o capitão.

Por meio da assessoria de imprensa, a Librelato informou que ainda não sabe o que ocorreu e reiterou que nenhum trabalhador se feriu. Cerca de 200 colaboradores foram liberados logo depois do incêndio.

A perícia avaliará, também, como é o trabalho da empresa no combate aos incêndios e se ela atende as normas de segurança exigidas pelo Corpo de Bombeiros.

 

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.