Criciúma: Fiesc defende informatização do sistema de pedágio

Durante a explanação, o secretário executivo da Câmara de Transporte e Logística da Fiesc, Edgio Antônio Martorano, disse que entidade defende a informatização do sistema de pedágio, com a instalação do sistema “free flow”, que cobra do usuário por quilômetro rodado, o que segundo ele, seria uma forma mais justa.

- PUBLICIDADE -

A implantação do pedágio na BR-101 Sul foi o tema da reunião realizada hoje à tarde, na Acic, envolvendo prefeitos e empresários. A Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc) apresentou um parecer técnico, em cima dos documentos do programa de exploração rodoviária da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). Durante a explanação, o secretário executivo da Câmara de Transporte e Logística da Fiesc, Edgio Antônio Martorano, disse que entidade defende a informatização do sistema de pedágio, com a instalação do sistema “free flow”, que cobra do usuário por quilômetro rodado, o que segundo ele, seria uma forma mais justa.

Durando o encontro o consultor técnico da Fiesc, Ricardo Saporiti, apresentou um comparativo entre o trecho do Sul e o trecho Norte da rodovia, que já tem pedágio implantado. No Norte o pedágio foi implantado em 2008, sendo um total de 406 quilômetros, com cinco pedágios. “Estão falando em quatro, mas existe um pedágio em São José dos Pinhais, no Paraná, que equivale ao mesmo trecho concedido”, informou aos presentes. O trecho Sul são 220,5 quilômetros, com quatro praças de pedágio e o valor do quilômetro rodado em R$ 0,07019, segundo dados de novembro de 2016, com investimentos de R$ 2,907 bilhões. Segundo Saporiti, quanto menos praças de pedágios, mas irá se pagará em cada praça, já que o valor do pedágio é calculado conforme o quilômetro rodado. Ele ainda disse que uma forma de diminuir o preço da tarifa seria reduzir os investimentos na rodovia por parte da empresa que vencer o leilão. “É um questionamento difícil de responder”, falou, lembrando que as melhorias na rodovia também são necessárias.

- PUBLICIDADE -

Para o presidente da Amrec e prefeito de Siderópolis, Hélio Roberto Cesa, o Alemão, a reunião foi importante para dar subsídio à comissão responsável para elaboração do documento que será encaminhado para a ANTT. “Esse documento será encaminhado também aos deputados eleitos e as lideranças políticas da nossa reunião para que tenhamos união e força para mudar esse quadro”, disse o presidente. Ele ainda disse ter saído satisfeito da reunião, já que o consultor da Fiesc garantiu que a concorrência no leilão pela concessão da rodovia deve ser grande, o que deve reduzir o valor estimado hoje, que é de R$ 3,97.
Para o representante da Acic na reunião, o engenheiro Edio Castanhel, a palestra técnica, mostrando que os estudos apresentados pela ANTT estão corretos. “Vai nos ajudar nas tomadas de decisão, mas ainda não temos consenso de números de praças e dos investimentos que são solicitados”, disse.

A comissão que está elaborando o documento volta a se reunir amanhã, às 17h, na Acic. Ela é formada por representantes dos prefeitos (prefeito de Lauro Müller, Valdir Fontanela), das Associações empresariais, CDLs, e durante o encontro de hoje à tarde foi decidido incorporar na comissão os secretários de infraestrutura de Criciúma e de Içara, representando os municípios que são cortados pela BR-101.

Tarifa básica do pedágio – R$ 0,07019/km

Trecho Percentual de arrecadação por praça
Laguna (km 298)…77,3km R$ 5,43 37%
Tubarão (km346)…55 km R$ 3,86 27%
Araranguá (km 408)…55,8km R$ 3,91 25%
São João do Sul (km 460)…32,4km R$ 2,27 11%

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.