Conta de luz pode aumentar até 13% em agosto

Reajuste anual dos valores da conta de energia serão aplicados no mês de agosto

- PUBLICIDADE -

A conta de luz vai ficar mais cara a partir de 22 de agosto, quando entra em vigor o reajuste anual da conta de luz da Celesc. De acordo com informações divulgadas pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), que é também responsável pelo reajuste, a alta média deve ficar entre 10% e 13%.

O presidente da Celesc Cleverson Siewert, explica que o número definitivo será divulgado pela agência cerca de 10 dias antes de entrar em vigor, mas o percentual não deverá ser muito diferente do que está sendo analisado. Ainda segundo o presidente, todas as distribuidoras do país estão tendo reajustes anuais bem acima da inflação do ano passado (2,95%) porque a energia está mais cara em função da falta de chuvas e há mais custos de encargos setoriais.

- PUBLICIDADE -

“O custo da energia responderá por cerca de 50% da alta. A hidrologia está ruim. Isso faz com que tenha mais despacho de geração térmica, que é mais cara. Isso vem desde fevereiro. Basta ver que estamos tendo bandeira tarifária vermelha nos últimos meses”, explica Siewert.

Os encargos também vão pesar. Representarão 35% da alta, informa o presidente da Celesc. Um encargo que ficou mais caro é a Conta de Desenvolvimento Energético (CDE), que inclui pagamento de políticas públicas como o subsídio da conta de luz aos mais pobres e outros. No ano passado, o reajuste médio da distribuidora de SC ficou em 7,8%, porque foi necessário pagar dívidas de transmissão de energia cobradas por empresas que se disseram prejudicadas ainda na MP 579 de 2012.

Bandeira vermelha continua no mês de julho

A bandeira tarifária continua para vermelha durante o mês de julho com custo de R$ 5 a cada 100 kWh (quilowatts-hora) consumidos. A repetição da bandeira do mês de junho deve-se à falta de chuvas que ocasiona uma redução no nível de armazenamento dos principais reservatórios do Sistema Interligado Nacional (SIN).

O sistema de bandeiras foi criado para sinalizar aos consumidores os custos reais da geração de energia elétrica. O funcionamento é simples, para que os consumidores possam assimilar que as cores verde, amarela ou vermelha indicam se a energia custa mais ou menos por causa das condições de geração. Com as bandeiras, a conta de luz ficou mais transparente e o consumidor tem a melhor informação, para usar a energia elétrica de forma mais eficiente, sem desperdícios.

Cabe frisar que as bandeiras tarifárias não promovem aumento de custos ou da tarifa. O sistema permite, a partir de sua métrica de acionamento e de seus adicionais, um ajuste mais harmônico ao fluxo de custos do processo operativo do Sistema Interligado Nacional (SIN).

 

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.