Projeto de lei para contratação de efetivo do Corpo de Bombeiros de Morro da Fumaça é aprovado

Para participar, os candidatos devem possuir Ensino Médio completo e certificado de conclusão do Curso Avançado de Atendimento à Emergência

Foto: Suelen Grimes/DN
- PUBLICIDADE -

O Projeto de Lei Complementar, de autoria do Poder Executivo, e que cria a função temporária de Agente de Proteção da Defesa Civil foi aprovado em sessão nesta terça-feira, 4, pelo Legislativo de Morro da Fumaça.  Com a aprovação do texto, será possível retomar o plantão 24 horas do Corpo de Bombeiros, que atualmente funciona até às 20 horas.

Para o prefeito Agenor Coral a aprovação do projeto é importante ao município. “O Calita me procurou logo após as eleições, mas naquele momento eu ainda não conhecia a realidade financeira do Município, então não tinha como dar a resposta. Isto não é função da Administração Municipal, mas defendo que devemos fazer o que está ao nosso alcance”, diz.

- PUBLICIDADE -

Segundo o presidente da Câmara de Vereadores, José Carlos Bortolin, o Calita, o texto é o resultado de cerca de um ano de luta. “Por muitas vezes os vereadores, prefeito, e demais lideranças da cidade buscaram solucionar este problema junto ao Comando do Corpo de Bombeiros da região e do Estado, e agora finalmente chegamos a um desfecho favorável”, comenta.

Processo seletivo

O processo de seleção dos novos servidores se dará através de provas escritas, práticas e de títulos, bem como testes de aptidão. Para participar, os candidatos devem possuir Ensino Médio completo, certificado de conclusão do Curso Avançado de Atendimento à Emergência, emitido pelo Corpo de Bombeiros, aptidão física, certidão negativa de antecedentes criminais e Carteira Nacional de Habilitação nas categorias D ou E, além de exame toxicológico. Os dois aprovados terão com jornada de trabalho de 24 horas por 48 horas de descanso e terão vencimento de R$ 1,5 mil.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar
Em: Morro da Fumaça

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.