Oito presos fogem da Penitenciária de Blumenau

Conforme informações do Departamento de Administração Prisional (Deap), eles usaram lixa diamantada, bem pequena, para lixar as grades. Um dos presos já foi recapturado.

Foto: Divulgação Adjori
- PUBLICIDADE -

Oito presos fugiram no inicia da tarde desta segunda-feira, dia 06, da Penitenciária Industrial de Blumenau, no Vale do Itajaí. Um dos presos já foi recapturado.

Conforme informações do Departamento de Administração Prisional  (Deap), eles usaram lixa diamantada, bem pequena, para lixar as grades. Os presos que fugiram cumpriam pena pelos crimes de assalto, tráfico de drogas, associação criminosa e falsidade ideológica, entre outros.

- PUBLICIDADE -

Em nota oficial, o Deap informa que todas as medidas legais e periciais foram tomadas e a Corregedoria Geral da SJC está no local e investiga as circunstâncias da fuga. As Polícias Militar e Civil, com o apoio de agentes penitenciários, já trabalham na recaptura dos foragidos.

A penitenciária foi inaugurada em janeiro do ano passado e começou a receber presos três meses depois. Em novembro, um preso foi estrangulado até a morte na sela. Em janeiro, outro detento foi encontrado morto no banheiro. A direção do presídio alegou as mortes a desavenças pessoais entre presos.

Lista dos foragidos:

Amarildo da Silva, 36 anos, natural de Ascurra/SC

José Rodolfo Gonçalves Fernandes, 25 anos, natural de Curitibanos/SC

Lucas de Siqueira, 41 anos, natural de São Lourenço do Oeste/SC

Claudinei Machado, 24 anos, natural de Lontras/SC

Fernando Mendes De Paulo, 35 anos, natural de Campinorte/GO

Leudivan Nunes, 28 anos, natural de Xaxim/SC

Tiago De Jesus Godoi, 25 anos, Foz do Iguaçu/PR

Recapturado:

Diego Mateus da Silva, 23 anos, natural de Rio do Sul/SC

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.