- PUBLICIDADE -

Criciúma
Após a deflagração da última quinta-feira, onde a Operação Talentos realizou a prisão de membros ligados à Multiplicando Talentos, o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) realizou na manhã desta sexta-feira, 28, uma entrevista coletiva dando mais detalhes sobre a operação que investiga desvio de recursos públicos na administração das Casas de Atendimento Socioeducativo Provisório (Casep) de Criciúma e de Tubarão e nas Casas de Semiliberdade de Araranguá e Criciúma, geridas pela organização.

De acordo com o promotor e coordenador do Gaeco, Gustavo Wiggers, a operação começou em 2015 a partir da denúncia de um ex-funcionário da ONG. “O funcionário procurou o Gaeco e informou irregularidades na gestão da Multiplicando Talentos e na época, reportou a contratação de pessoas e pagamento por meio de cheques endossados pelo presidente da Ong, que sacava e ficava com parte do dinheiro e esse foi o início da investigação”, explicou.

- PUBLICIDADE -

Foi feito a investigação de funcionários próximos aos presidente que atuavam no local. Houve também a quebra do sigilo bancário do presidente, onde envolve a empresa particular do presidente da ONG, da própria multiplicando talentos, conta de convênios e de alguns fornecedores que prestavam serviços frequentemente, onde se identificou números suspeitos. Os números começaram a ser analisados a partir de 2011.

Houve também o seqüestro dos bens do presidente, onde envolve contas bancárias, imóveis e veículos, variando em um valor de aproximadamente R$ 700 mil. O Gaeco ainda segue ouvindo testemunhas. Na quinta-feira, foram ouvidas 14 pessoas e os trabalhos continuam durante esta sexta-feira.

Dos presos temporariamente, um não foi encontrado e segue foragido e uma mulher já foi liberada. Ao todo, seis continuam em prisão temporária, onde poderão ficar até dez dias.

Sobre os documentos levados da sede da instituição, eles continuam em posse do Gaeco e continuarão sendo analisados. Por ora, os serviços prestados, tanto na Multiplicando Talentos, quanto nas instituições geridas pela organização, continuam acontecendo.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.