Em campana, PM prende envolvido em tráfico de drogas

Além dele, um homem que desacatou os policiais também foi conduzido à CPP

- PUBLICIDADE -

Tubarão

 

- PUBLICIDADE -

A guarnição do PPT motivada em posse de informações de tráfico de entorpecentes que ocorre frequentemente na localidade de Passagem, em Tubarão, veio a realizar uma campana no local, com o intuito de identificar os responsáveis que estariam realizando.

Foi realizada a campana em local estratégico, por cerca de uma hora, onde foi visualizado um homem identificado como F.Z., 23 anos, realizando algumas transações de droga. Foi possível perceber que o dinheiro adquirido nas transações visualizadas já era entregue pra outro menor, que não foi possível identificar.

O entorpecente, a maior parte do tempo, ficava em mãos do autor, sendo que algumas vezes, ao se aproximar algum veículo, F.Z. escondia a droga em locais distintos (arbustos, mato no canto do terreno). Em certo momento, F.Z. e o outro rapaz ao avistarem um farol de um veículo se aproximado, foram esconder o pacote de entorpecentes no local que um dos policiais estava escondido, sendo necessário abandonar o local e realizar a abordagem.

Como o alvo principal visualizado até o momento tratava-se da pessoa de F.Z., foi priorizado a abordagem do mesmo, sendo que o outro conseguiu se evadir a pé.

Ele foi surpreendido e abordado, sendo localizado com o mesmo (em uma de suas mãos) um pacote contendo 50 pedras de crack. Durante a condução, alguns populares, conhecidos do conduzido, vieram a tumultuar a abordagem. Um masculino, conduzido, identificado como C. A. M., 56 anos, veio a desacatar os policiais, sendo dada voz de prisão e conduzido a CPP. No bolso de F.Z. foi localizada uma peteca de cocaína e R$ 5,25 em dinheiro.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.