DIC prende autores de assaltos em Criciúma

Grupo planejava ações e agia com violência durante os roubos. Três são presos e estão custodiados à disposição da Justiça

Foto: Divulgação Polícia Civil
- PUBLICIDADE -

Autores de uma série de roubos registrados em Criciúma há cerca de dois meses foram identificados pela Divisão de Investigação Criminal (DIC). Os crimes foram realizados contra uma farmácia, uma relojoaria e uma fruteira, sendo cometidos por um grupo armado que planejava previamente os assaltos.

As investigações conseguiram apurar os autores e a dinâmica dos crimes. As vítimas sofreram graves ameaças com arma de fogo e uma delas chegou a ser agredida com golpes de arma durante a ação criminosa.

- PUBLICIDADE -

Nesta terça-feira, 26, os policiais civis cumpriram seis mandados de buscas nas casas dos investigados. Três integrantes do grupo foram presos de forma preventiva e permanecem custodiados a disposição do Poder Judiciário. Um quarto integrante foi identificado como fornecedor de armas para as ações criminosas e foi indiciado. O quinto integrante foi identificado como sendo um adolescente e sua conduta será apurada pela DPCAMI de Criciúma.

O trabalho da Polícia Civil colheu fortes indícios da participação dos envolvidos. “As ações tinham planejamento prévio e havia certo grau de organização. Os roubos eram cometidos com rapidez pelos executores, surpreendendo as vítimas”, afirma o Delegado Yuri Miqueluzzi, da Divisão de Roubos da DIC de Criciúma.

Policiais militares auxiliaram com informações e colaboraram com a prisão de um dos envolvidos após abordagem de rotina em via pública. Na operação realizada pela Polícia Civil, diversas unidades da Regional de Criciúma foram empregadas nas buscas.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar
Em: Criciúma

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.