Comitiva do Tocantins visita unidades prisionais de Criciúma

O novo modelo arquitetônico adotado em Santa Catarina, que é referência hoje no Brasil, também surpreendeu a comitiva de Tocantins. As características que mais impressionaram os integrantes foram o sistema modular e a abertura pela parte superior

Foto: Denise Lacerda/Divulgação
- PUBLICIDADE -

A Secretária de Estado de Cidadania e Justiça do Tocantins, Gleidy Braga, acompanhada pelo secretário de Estado da Casa Civil, Télio Leão Ayres, e do subcomandante-geral da Polícia Militar, coronel Edivan de Jesus, visitaram as unidades penitenciárias do Sul de Santa Catarina, consideradas referência no Brasil em estrutura, gestão e segurança. A comitiva, composta ainda por assessores e técnicos, esteve no Presídio Regional Santa Augusta, na Penitenciária Sul e nas obras da Penitenciária Feminina de Criciúma.

“Santa Catarina está sempre à disposição para a troca de informações. Acreditamos que somente com a articulação entre os estados é que vamos conseguir superar as demandas prisionais de forma igualitária e justa”, salientou o secretário adjunto de Estado da Justiça e Cidadania (SJC/SC), Leandro Antônio Soares Lima, que acompanhou o grupo durante toda a visita ao Sul.

- PUBLICIDADE -

Na Penitenciária Sul, a comitiva conheceu os novos modelos de gestão do sistema catarinense, o sistema de cadastramento de presos interligado entre as 50 unidades prisionais, o controle interno e externo pelo Sistema de Monitoramento (CFTV), além das oficinas de trabalho. Santa Catarina está hoje no topo do ranking nacional em ressocialização, com mais de 38% dos apenados em chão de fábrica.

A Penitenciária Sul segue os padrões exigidos pela Lei de Execuções Penais (LEP) que incluem área de saúde, área para educação com salas de aula e oficinas de trabalho, além do espaço de vivência com áreas de banho de sol, visita familiar e atendimento dos advogados, sala de revista, rouparia, parlatório, enfermaria e consultórios médicos e odontológicos.

O novo modelo arquitetônico adotado em Santa Catarina, que é referência hoje no Brasil, também surpreendeu a comitiva de Tocantins. As características que mais impressionaram os integrantes foram o sistema modular (as unidades são construídas com blocos pré-moldados) e a abertura pela parte superior, já que a abertura das portas das celas pela parte de cima garante mais segurança para o agente e uma maior logística organizacional no funcionamento interno da unidade, além da agilidade na conclusão da obra.

A visita da comitiva de Tocantins também foi acompanhada pelos diretores do Presídio Santa Augusta, Felipe Alves Aguiar, e da Penitenciária Sul, Mayra Montegutti, unidades consideradas modelo, mais humanizadas e com grande oferta de trabalho e estudo.

Esta não é a primeira vez que o sistema penitenciário catarinense chama a atenção dos demais estados e países. Representantes dos governos de Rondônia, Distrito Federal e Ceará estiveram em agosto de 2016 na Penitenciária Sul, em Criciúma, e no Complexo da Canhanduba, em Itajaí. E semana passada, representantes do governo argentino também visitaram as unidades do Sul.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar
Em: Criciúma

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.