- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Criciúma

- PUBLICIDADE -

O treinamento entre policiais militares da companhia de policiamento tático de Criciúma com o Serviço Aeropolicial (Saer), no 9ª Batalhão, ganhou a companhia dos cães, na manhã desta sexta-feira, dia 10.

Treinamento SAER com o K9 - Tcharlles Fernandes (40)-minO treinamento envolve a familiarização dos cães com a aeronave. “O objetivo de ambientá-los com a aeronave, principalmente, é para o transporte do animal. Caso eles sejam necessários para alguma missão, de uma forma rápida a gente consegue alocar o cão no ambiente”, destaca o capitão Mário Luiz Silva. Aproximadamente 11 policiais participaram da atividade.

Segundo o capitão, o Canil tem diversos tipos de utilidade para auxiliar os agentes. “Temos cães que trabalham com variados faros: drogas, explosivos e armas. Temos o cão para controle de multidões, como presídios, por exemplo, e os cães de busca na mata – que são usados em uma atividade mais complexa, em locais inóspitos. Esses cães, com auxilio da aeronave, rapidamente chegam ao local para ajudar em buscas”, afirma.

Integração entre as Polícias

O trabalho também serve para integrar os policiais militares com os agentes da polícia civil. “Além de preparar os cães para o embarque e desembarque com segurança, a ideia é aproximar a Policia Militar da nossa Unidade Aérea para que, de agora em diante, a gente estreite os laços e trabalhe juntos em prol da comunidade no combate a criminalidade”, enfatiza o delegado Gilberto Crepaldi Mondini.

A aeronave do Saer trabalha na região Sul do Estado desde o fim de novembro de 2016. Em pouco mais de dois meses, o serviço atende todos os órgãos de segurança, trabalhando com 13 tripulantes e oito pilotos.

O Saer também fará missões humanitárias, transporte de órgãos e ajudará a defesa civil. Além disso, uma parceria com o Samu está sendo estudava para prestar serviço aeromédico.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.