Caso Lila: autores de latrocínio serão ouvidos pelo Judiciário

Audiência está marcada para a tarde de hoje e deve contar com a participação de nove testemunhas

- PUBLICIDADE -

Oito meses após a morte de Ana Edwiges Colonetti, conhecida como Lila, em Içara, os apontados como autores do latrocínio serão ouvidos pelo Judiciário. A audiência de instrução e julgamento sobre o caso está marcada para a tarde de hoje no Fórum da Comarca de Içara. Além dos dois réus, ao menos nove testemunhas, arroladas tanto pela defesa quanto pelo Ministério Público deverão contar as versões sobre o caso.

Um dos envolvidos, de 22 anos, é acusado pelos disparos que vitimou a idosa. O outro criminoso, de 31 anos, acabou detido em uma operação sigilosa da Polícia Civil. Ele foi encontrado no município de São João Batista, junto à mulher. Na sequência, foi encaminhado a Içara, prestou depoimento sobre o caso e foi levado ao Presídio Santa Augusta, onde está detido.

- PUBLICIDADE -

Relembre o Caso

O crime foi registrado no final de dezembro do último ano. Os dois criminosos invadiram a residência, localizada no interior de Içara, no início da manhã, enquanto a vítima preparava o café. Lila foi atingida por cinco disparos de arma de fogo e chegou a ser socorrida pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), porém não resistiu aos ferimentos. Os criminosos fugiram com o Corola da família, que foi encontrado abandonado momentos depois em Balneário Rincão.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar
Em: Içara

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.