Pedido de impeachment da OAB repercute na Conferência de Criciúma

O presidente da OAB/SC, Paulo Brincas, disse que "é um fato a se lamentar que estejamos passando por este momento, mas a OAB está fazendo o seu papel"

Foto: Divulgação/DN
- PUBLICIDADE -

Criciúma

O pedido de impeachment do presidente da República, Michel Temer (PMDB), protocolado nesta quinta-feira, 25, em Brasília, pelo Conselho Federal da OAB, repercutiu na Conferência Estadual da Advocacia, que reúne 1,8 mil advogados em Criciúma até esta sexta-feira, 26. O presidente da OAB/SC, Paulo Brincas, disse que “é um fato a se lamentar que estejamos passando por este momento, mas a OAB está fazendo o seu papel”.

- PUBLICIDADE -

O presidente da Subseção de Criciúma, Fábio Jeremias, disse que “é um posicionamento importante da instituição”. Segundo ele, “ninguém está cassando o mandato do presidente, haverá uma apuração de crime de responsabilidade e ele terá garantido direito de defesa”.

O advogado Pierre Vanderlinde, que preside a Comissão de Direito Eleitoral da OAB/SC, manifestou preocupação com o gesto da entidade. Segundo ele, os áudios “são uma prova frágil para embasar um pedido de impeachment, que inclusive pode vir a ser considerada ilícita, como ocorreu no caso das gravações entre os ex-presidentes Dilma e Lula”. Para Vanderlinde, o Conselho Federal “pode estar se deixando contaminar pela vontade popular, quando deveria se ater à Constituição”.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.