‘Ocupa Brasília’: manifestantes da Região comemoram “missão cumprida”

Sindicalistas, em nove ônibus de Criciúma, três de Araranguá e quatro de Tubarão, voltam para casa após dia de tensão

Foto: Divulgação/DN
- PUBLICIDADE -

Bruna Borges

Criciúma

- PUBLICIDADE -

Com ministérios depredados e incendiados, confronto entre Polícia Militar e manifestantes, o governo federal chegou ao ponto de determinar o reforço de tropas federais para proteger a Esplanada. Mesmo com toda a tensão registrada em Brasília nesta quarta-feira, 24, os manifestantes, que foram do Sul de Santa Catarina para o ato em nove ônibus de Criciúma, três de Araranguá e quatro de Tubarão, estão voltando com sentimento de missão cumprida. “Alcançamos nosso objetivo de tomar Brasília. Missão cumprida por hoje, mas nossa luta continuará nas nossas regiões, denunciando cada político que se posicionar contra os trabalhadores. A Polícia estimou 150 mil participantes. Isso significa que tinha muito mais. Cada um de nós representou muitos trabalhadores e essa luta é por nós e pelos que virão”, ressalta a representante do Sindicato dos Bancários e Financiários de Criciúma e Região, Dirceia Locatelli.

Motivos

O diretor do Sindicato dos Comerciários do Vale do Araranguá (Sitracom), Joelcio Cesar dos Santos, o Saba, frisa que o motivo da ida à Brasília é: as delações do proprietário da JBS contra o presidente Michel Temer (PMDB) e as reformas trabalhista e previdenciária. “Desta forma, o protesto pede pela renúncia de Temer, ‘Diretas Já’ e o fim das reformas que tramitam no Congresso”, complementa.

Para a servidora municipal de Içara, Maria Aparecida Viera, apesar de cansativo e da resistência da Polícia, é gratificante saber que está lutando pelo futuro dos netos.

Representantes do Sindicato dos Servidores Públicos de Içara e Balneário Rincão (Sindserpi). (Foto: Cida Vieira/Especial/DN)
Representantes do Sindicato dos Servidores Públicos de Içara e Balneário Rincão (Sindserpi). (Foto: Cida Vieira/Especial/DN)
-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.