Novo presidente do Senado é acusado de receber propina

Eunício Oliveira foi citado na delação do ex-diretor da Odebrecht

- PUBLICIDADE -

Brasília

Eleito com 61 votos presidente do Senado e do Congresso Nacional, o senador Eunício Oliveira (PMDB-CE) era conhecido entre os executivos da Odebrecht como o ‘índio’, apelido utilizado pelo departamento de propinas da empreiteira para se referir ao parlamentar, segundo informações publicadas pelo Estadão. O ex-diretor de Relações Institucionais da empresa Cláudio Melo Filho afirmou em sua colaboração premiada que o agora segundo homem na linha de sucessão presidencial teria recebido cerca de R$ 2,1 milhões em propinas entre outubro de 2013 e janeiro de 2014.

- PUBLICIDADE -

Os acordos de delação premiada dos 77 executivos e ex-executivos da empreiteira foram homologados nesta semana pela presidente do Supremo Tribunal Federal, ministra Cármen Lúcia, e já podem ser utilizados para investigações da Procuradoria-Geral da República.
O valor, segundo o delator, teria sido destinado para garantir o apoio do parlamentar à Medida Provisória 613, aprovada em agosto de 2013 pelo Senado e que desonerava a cadeia de produção do etanol e beneficiava a Odebrecht.

Promessa de luta contra a corrupção

Em seu discurso aos 80 senadores, o senador Eunício prometeu garantir “transparência” e “luta contra a corrupção” caso seja escolhido para o cargo. Eunício, apoiado pelo governo do presidente Michel Temer (PMDB), é citado em delações premiadas da Operação Lava Jato.

“É necessário fazer com que o Senado Federal não perca essa corrente contemporânea da luta contra a corrupção neste país. Temos que assumir o funcionamento do Estado democrático de direito”, afirmou.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar
Em: Brasília

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.